24 de nov de 2007


O comentário que o Beto fez no tópico onde eu postei sobre meus trabalhos manuais, dizendo que eu sou uma pessoa delicada por causa disso, me levou a pensar.
Nos últimos tempos de orkut, eu estava frequentando algumas comunidades de artesanato, trabalhos manuais diversos. O que mais me impressionou nessas comunidades é que você não vê uma briguinha sequer, ao contrário da maioria das comus sobre outros assuntos. As pessoas são de uma gentileza, carinho e paciência, impressioante. Todas sempre prontas a tirar as dúvidas que surgem, a ensinar e dividir o material que possuem. É realmente um grande grupo de amigas. Todas sempre se bom humor e prontas a ajudar a comunidade a crescer, se organizar. Com certeza a maioria das pessoas que fazem esse tipo de trabalho, seja por hobby ou como profissão, têm seu melhor lado aflorado.

Comecei a fazer trabalhos manuais por volta dos 10 anos. Sempre tive facilidade para aprender as técnicas e tinha o maior prazer. Sempre foi um hobby, mas também uma fonte de renda quando precisava engrossar o dim dim. Sempre consegui vender fácil tudo que eu fazia e não podia pegar todas as encomendas por falta de tempo. Hoje vejo que sempre que passei um tempo sem produzir nada, isso me fez falta.
Na época que trabalhei no mercado de capitais em mesa de operações, foi o trabalho manual que muitas vezes me ajudou a encontrar um certo equilíbrio, a não deixar o meu lado "humano" sumir por completo. Quando estou fazendo algum trabalho, ele faz eu me desligar por completo e pensar melhor nas coisas. Muitas vezes encontrei solução para problemas, ou enxerguei certas coisas, nesses momentos.
Infelizmente na época que eu mais precisava dele nesse sentido, que ele podia me ajudar, eu fiquei afastada dele. Foram mais de 2 anos sem produzir nada. Este ano eu tive uma fase em que precisava me reequilibrar. Me recolhi e me dediquei ao bordado em todo tempo livre que eu tinha. Foi muito bom prá mim. Eu estava tendo dificuldade em reencontrar um equilíbrio emocional perdido nos últimos acontecimentos. E realmente fez efeito. Porém quando achei que tudo estava ficando bem veio a novidade na minha vida profissional que me deu uma derrubada. Sei que prá muita gente é complicado entender todas as coisas que passei, parece que as torno maior do que realmente foram, mas só quem passa o dia-a-dia dessas situações pode realmente avaliar. Mas não vou me alongar nisso.

Tenho proposta de voltar a trabalhar para empresas, mas a idéia de ficar trabalhando com artesanato é algo muito forte em mim. Sempre foi um desejo um dia me dedicar a isso e acho que chegou a hora. Claro que dá uma certa insegurança você partir para um trabalho completamente diferente, trabalhar por conta própria, mas estou animada com isso.
Por enquanto estou numa longa férias. Estou me dando um tempo para me desintoxicar de muita coisa. E a decisão de me afastar da vida virtual também tem me ajudado muito porque estou ficando mais em minha companhia. Sempre cuidei de pessoas, e hoje não tenho ninguém para me preocupar, só comigo mesmo. Como passei muito tempo sem fazer isso, encontrei muita dificuldade. Então dei essa parada para me redescobrir. Algo que venho tentado fazer nos últimos meses, mas sem muito sucesso. Tenho me dedicado a minha casa, a organizar minhas coisas, a arrumar aquilo que há tempos estava sendo deixado prá depois, e principalmente mexer com meus trabalhos. Sei que será através deles que vou conseguir sucesso no que quero e preciso. Ele faz aflorar o melhor de mim.
Trabalhar naquele meio doido que eu trabalhava, faz qualquer um gastar energia demais. Você está cercado de coisas negativas, de pessoas falsas, estressadas, cada uma querendo derrubar o outro e coisas assim que conhecemos bem. Isso fazia com que eu depois de anos e anos estivesse sempre na defensiva e pronta para tudo. Hoje, longe de tudo isso, minha guarda baixou. Me sinto mais sensível, livre, mais calma... Por isso preciso de um novo equilíbrio. Quero resgatar alguém que está perdido em algum lugar dentro de mim.

Então Beto, as pessoas que mexem com esse tipo de trabalho são mais delicadas e sensíveis sim, e que bom que você conseguiu ver isso em mim mesmo antes de saber que eu mexia com isso e apesar do momento que eu passava.

2 comentários:

  1. Sei exatamente do que vc tá falando... Tenho me dado ao luxo de me distanciar de pessoas que me fazem me sentir mal... é melhor estar ao lado de quem realmente nos faz bem, faz acender uma luzinha na alma... bjk

    ResponderExcluir
  2. Ah amiga!! Gente que me faz mal tou fora mesmo!!!! e ando me sentindo tão bem que tenho diminuído meu "retiro" e voltado devagarinho a conversar com os bons amigos que sempre nos faz bem!!!! bjus

    ResponderExcluir