28 de jul de 2008

as mudanças continuam..

Sempre acreditei que precisamos estar em constante movimento, afinal estamos muito longe da perfeição e sabemos que vamos morrer sem alcançá-la.
O passo atual é minha relação com a internet. Chegou um momento de ajuste e utilizá-la melhor num tempo menor. Semana passada saí do orkut, o que já fiz outras vezes, mas por outros motivos. A internet vicia e eu tenho conseguido me livrar desse vício nos últimos meses. Lembro da época que ficava até 3, 4h da madrugada conversando no msn, passeando por comunidades do orkut. Hoje, raramente estou por aqui à noite. Os amigos do orkut, posso ter contato com eles fora de lá, seja pelo msn, fone ou mail. Eu trabalho ao lado do pc e confesso que acabo não resistindo e entrando toda hora. Vejo pelo e-mail que alguém deixou um recado e lá vou eu, só que não leio apenas o recado, acabo indo olhar comunidades e aí mais um tempinho gasto. Tem amigos que conversava muito pelo "depoimento", podemos continuar pelo e-mail.
Sei que algumas pessoas dirá que é só administrar isso, mas eu não consigo. Também dirá que não é tanto tempo assim. Só que internet não é só orkut. É também o blog de artes que preciso atualizar, esse blog, onde tenho vontade de escrever e acabo não fazendo, blogs dos amigos prá ler, e-mails recebidos para responder (recebo diversos mails por conta do blog de artes), conversar com amigos pelo msn e g talk, escrever mail para amigos, ler sites interessantes, enfim tem um montão de coisa e se você somar todo o tempo gasto, é muito. Então estou fazendo uma seleção, dando prioridades para aproveitar melhor meu tempo.
Um dos motivos de ter mais tempo fora da net, é meu trabalho. O volume de encomendas está aumentando, e hoje essa é minha fonte de renda. Outro motivo é uma porção de outras coisas que quero fazer e não tenho feito. Tiro fotos dos meus trabalhos e levo tempo prá postar, porque requer tempo para recortar as fotos, mudar resolução, colocar marca d'água... parece besteira, mas não é, isso requer um tempo. Preciso organizar as imagens que tenho em arquivos, aprender mais sobre programas que me são úteis, e isso falando de pc.
Quer ver? Final de semana passada fiz uma limpesa nas minhas fotos, acabei com os álbuns, selecionei as fotos que quero guardar e rasguei o resto. Com isso tenho uma caixa lotada de fotos que preciso scanear. Ah tem aquele armário a ser pintado, lembram dele? Quero fazer cursos, tenho que dar uma limpada no meu guarda-roupa (tem muita roupa prá ser dada, já que não mais trabalho fora e não preciso de tanta coisa. Tem peças que quero bordar para minha casa, presentes que quero fazer... Bem, a lista é grande.
Então os amigos que não viram a mensagem que mandei avisando que saí do orkut e lê aqui, está comunicado e explicado :) Se demorar responder mails, já sabem, o pc não mais ficará ligado o dia todo como antes.
Vamos continuar mantendo contato!
Boa semana prá todos :) Prometo agora aparecer mais.

17 de jul de 2008

qual o nome?




O aniversário de 25 anos de casados se chama Bodas de Prata. Qual o nome que se daria ao aniversário de 25 anos de saparados? Fiquei aqui pensando e não encontrei nada. Um amigo deu a sugestão de alforria de prata. O fato é que hoje comemoro 25 anos de separada, que é mais importante prá mim do que as bodas de prata que eu teria comemorado ano passado. A separação me levou por caminhos que foram importantes na minha vida e aconteceram coisas que não teriam acontecido se eu continuasse casada. Mesmo que não tivesse separado naquela época, com certeza teria separado depois. Foi uma situação que me fez sofrer muito, mas me lembro de um momento especial que resumiu a minha tristeza.
Quando minha amiga Mena foi casar-se, eu abri caixas do meu enxoval e dei-lhe algumas coisas que eu não havia usado. Enquanto eu mexia nas coisas comecei a chorar e talvez tenha sido a única vez que alguém me viu chorar por causa dessa separação. Ela me perguntou:"você ainda gosta dele?" e eu respondi que não. Ela então me perguntou porque eu estava chorando e eu disse: "estou chorando a morte de um sonho".
Sim, casar-me foi um grande sonho. Quando me perguntavam o que eu mais queria na minha vida eu sempre respondia: "casar e ter filhos". Claro que eu queria outras coisas, mas isso era o mais importante prá mim. Engraçado que muitas amigas queriam ter sua profissão, serem independentes, e eu realizei esse sonho delas e elas estão casadas com filhos :D. Porém uma coisa é clara prá mim, mesmo meu casamento não tendo dado certo, o dia do meu casamento foi um dia muito feliz!
No final de semana passado, eu fui mexer numa caixa onde guardo lembranças da minha vida e lá encontrei um caderno onde eu escrevi poemas, textos e coisas assim. Nossa, hoje acho tudo muito ruim, mas na época expressaram meus sentimentos. Nele encontrei algo que escrevi sobre o meu vestido de noiva. Eu vi um concurso que você deveria escrever sobre seu vestido inesquecível e eu escrevi, só não mandei. Como muitos de vocês sabem, minha mãe era costureira e fazia belíssimos vestidos de noiva, e claro que fez o meu. Porém acho que foi o vestido de noiva mais simples que ela fez, mas foi como eu queria.

Segue o que escrevi. Por favor, não é nenhum exemplo literário viu? nem vou fazer mudanças, vou transcrever da forma como escrevi em 1984.

"Meu Vestido Inesquecível

O tempo passava
E cada vez mais o dia se aproximava.
Eram convites a serem entregues
Os presentes que chegavam
A preparação da viagem
E no meio de tudo um tempinho para as provas do vestido.
Era um modelo simples de tule e renda
Mas com um ar majestoso
E que fazia com que eu me sentisse diferente.
Finalmente chegou o dia.
Coloquei a calcinha, as meias, os sapatos
E a grinalda com um longo véu.
Me enrolei numa toalha e fiquei ali sentada
A espera da hora de vestí-lo.
De vez enquando olhava prá ele
Pendurado na porta do guarda-roupa.
E foi numa dessas vezes que notei como era lindo
Não só pelo tecido ou feitio
Mas pela magia que o envolvia.
Ele representava a realização de um sonho.
Um momento maior.
Um momento de transição.
Pensei na vida até chegar a ele
E sonhei com a vida que viria depois dele.
Chegou a hora...
Ao vestí-lo senti como se estivesse vestindo aquele momento-vivo
Toda a importância daquele acontecimento
E me emocionei.
Hoje,
Apesar de toda magia ter se desfeito,
Apesar do motivo para o qual foi criado não mais existir,
Apesar do sonho ter acabado
Olho para o retrato e ao ver-me com ele
Vejo que nunca nenhum outro vestido me deixou tão bonita
E me fez tão feliz
Como aquele do dia do meu casamento
O meu vestido de noiva."


13 de jul de 2008

Antes de mais nada peço desculpas aos que têm vindo aqui e não encontram nada de novo. Confesso que quase todos os dias abro o blog e fico olhando prá tela sem saber o que escrever ou como escrever. Antes eu não estava escrevendo aqui, mas algumas vezes pegava o bloco e caneta e escrevia algo, mas agora nem isso tenho conseguido :( E isso tem me feito mal de certa forma. Tenho necessidade de colocar no papel algumas coisas que sinto, faz me sentir mais leve. Com isso tenho pensado mais que de costume. Bem, não é bem pensar, mas conversar mentalmente com alguém. Falo de como estou me sentindo ou do que estou sentindo. E tenho sentido muitas coisas ultimamente.
Tenho literalmente pensado na vida. No que ela foi, no que está sendo e no que poderá ser. Sobre o que já foi, estou tendo uma visão diferente de tudo, como que olhando de fora. Sobre o hoje, olho como estou depois de tudo ter se acalmado. Penso no que quero prá mim, se está do jeito que eu gostaria, o que posso melhorar, o que não posso e como conviver com isso. Minha forma de ver as coisas, de sentir, têm mudado muito e nessas minhas análises cheguei a conclusão que estou na crise dos 50 :) A palavra crise parece uma coisa ruim, mas eu vejo a palavra ligada a idade, como mudanças. Não tive a crise dos 40, não tive tempo prá isso, mas lembro que tive a dos 30. Muita coisa mudou em mim. E é interessante como isso ocorre naturalmente, sem que vc planeje. Aos 30 eu mudei muito como pessoa. Mudei a forma de ver a vida, os acontecimentos, as pessoas, os valores etc. Estou sentindo que isso está acontecendo novamente. Afinal completei 49 anos e isso quer dizer que estou vivendo meu quinqüagéssimo ano de vida. Ah e que digam meus hormônios... a menopausa.. os calores hahahaha Meus calores são noturnos e haja cobre e descobre. Pode estar frio que o ventilador de teto tem que estar ligado, por que em algum momento o calorão vem e descubro e preciso do ventinho dele :P
Porém uma coisa tem marcado muito: tenho me decepcionado demais com as pessoas, com seus valores de vida. Fico perplexa com certas coisas que fico sabendo ou vivo.
Esta semana fez dois anos que mamãe faleceu. O tempo tá correndo né? saudade saudade saudade. A ausência dela ainda dói, mas em momento algum eu desejei que ela estivesse aqui, não da forma como estava. Hoje eu estou bem, embora ainda tente resolver algumas coisas dentro de mim. Na verdade o que me deixou mais desnorteada, não foi propriamente a morte dela, pq isso eu já desejava que acontecesse. Foi tudo que passei antes disso, principalemnte nos dois últimos anos com ela. Foram muitas experiências difíceis prá mim. E na verdade elafoi morrendo em vida, o que acho mais difícil de viver. Quando ela finalmente se foi, só havia uma coisa dela conosco, o amor e carinho de uma mulher que se tornou uma criança. Do que eu sinto mais falta? De ser abraçada por ela. Ela adorava abraçar a gente. Tanto que quando encontro meu irmão, peço sempre que me abrace, pois sinto falta disso.
Um ótima semana prá todos que por aqui passarem. Será que anda passando alguém? :P