4 de mar de 2009

a falta de misericórdia em nome de Deus

Sou católica, sempre fui católica, e mesmo as vezes que fiquei afastada da Igreja nunca pesnsei em mudar de religião. Mesmo com todos os defeitos que a Igraja católica tenha. Porém muitas qualidades também. Enfim, a Igreja é feita de homens e homens são imperfeitos. É um assunto prá ir longe, mas não estou escrevendo prá falar de tantas coisas que envolvem a religião.
Tem algumas coisas que definitivamente não consigo entender nem aceitar. Nada, absolutamente nada me faz aceitar certas atitudes.
Um filho da puta, padrasto de duas meninas (9 e 14 anos), abusa de ambas há 3 anos. Agora descobre-se que a menina de 9 anos está grávida de gêmeos. A mãe a levou ao médico porque se quiexou de dores e foi constatado que ela está com 16 semanas de gravidez (detalhe : a mãe não observou nada de anormal na filha em 4 meses).
Por lei ela tem o direito de interromper a gravidez por correr risco de vida e a família solicitou que fosse feito.
Aí vem a Igreja, na pessoa do arcebispo de Olinda e do Recife, Dom José Cardoso Sobrinho, dizendo que : "A menina engravidou de maneira totalmente injusta, mas devemos salvar vidas”.
O advogado da Arquidiocese de Olinda e Recife, Márcio Miranda, afirmou que vai denunciar o caso ao Ministério Público de Pernambuco . A ideia é impedir que o aborto aconteça.
Sinceramente, viu?

14 comentários:

  1. Tem horas que um padre que não sabe o que é ter uma filha não deveria se meter. É claro que tem que abortar, por mais que estejam em risco vidas. Essa menina já foi violentada demais para ter ainda que passar por uma gravidez e ser mãe.
    Isso é ridículo.

    ResponderExcluir
  2. Tem horas que um padre que não sabe o que é ter uma filha não deveria se meter. É claro que tem que abortar, por mais que estejam em risco vidas. Essa menina já foi violentada demais para ter ainda que passar por uma gravidez e ser mãe.
    Isso é ridículo.

    ResponderExcluir
  3. Agora também fala sério, como uma mãe não percebe que está vivendo com um tarado inconsequente, doente mental e que abusa de suas filhas. É ser muito desleixada com as filhas.

    ResponderExcluir
  4. Agora também fala sério, como uma mãe não percebe que está vivendo com um tarado inconsequente, doente mental e que abusa de suas filhas. É ser muito desleixada com as filhas.

    ResponderExcluir
  5. Um absurdo! Também sou católica por formação e por achar que é a religião que mais identifico, embora discorde em muitos pontos. Mas sinceramente, ando repensando essa questão.
    É só mais uma religião que leva tudo a ferro e fogo, que se prende a dogmas, não evolui com a sociedade e tem cada dia mais fanáticos. Intolerância religiosa surge de onde?
    É o arcebispo que vai carregar no ventre e lembrar concretamente todos os dias de sua vida a violência sofrida? Hipocrisia!
    E que omissão dessa mãe, meu Deus. Não é possível que não tenha percebido nenhum sinal do que acontecia dentro da própria casa.
    Deus, e não a igreja, tenha misericórdia dessas meninas.

    ResponderExcluir
  6. Um absurdo! Também sou católica por formação e por achar que é a religião que mais identifico, embora discorde em muitos pontos. Mas sinceramente, ando repensando essa questão.
    É só mais uma religião que leva tudo a ferro e fogo, que se prende a dogmas, não evolui com a sociedade e tem cada dia mais fanáticos. Intolerância religiosa surge de onde?
    É o arcebispo que vai carregar no ventre e lembrar concretamente todos os dias de sua vida a violência sofrida? Hipocrisia!
    E que omissão dessa mãe, meu Deus. Não é possível que não tenha percebido nenhum sinal do que acontecia dentro da própria casa.
    Deus, e não a igreja, tenha misericórdia dessas meninas.

    ResponderExcluir
  7. Dê, eu nunca pensei em mudar de religião por causa desse tipo de coisa. Acho que nenhuma é perfeita e eu sempre tive comigo que precisava sim ajudá-la a mudar, a crescer e presenciei e participei disso muitas vezes. Há trabalhos e movimentos maravilhosos. O Gilson sabe bem disso porque também é católico e praticante, engajado. O mais difícil é conviver com pessoas, pois não são perfeitas.
    Também tenho certeza que muita gente da Igreja, inclusive muitos padres estão contra o que aconteceu, com essa intervenção do Arcebispo. Só que não podem sair por aí falando, mas fazem seu trabalho junto de sua comunidade, inclusive em relação a outros assuntos.
    O bom é que os médicos realizaram seu trabalho e a menina não corre mais risco. Mesmo que não fosse o estupro, imagina o corpo dessa menina gerando gêmeos. Enfim, só quem pode julgar é Deus e Ele é misericordioso. Odeia-se o pecado mas ama-se o pecador.Para mim não devia existir lei contra o aborto. Acho que cada mulher devia ter o direito de tomar sua decisão e as que creem, responderiam por isso, ninguém mais. Cada um sabe seus motivos e Deus tb. Não haveriam tantas mulheres morrendo na mão de açogueiros.

    Gilson, qto a mãe... isso acontece todos os dias. Tb não entendo. E ainda tem as que sabem e são coniventes,muitas dizem que por medo. Só Deus mesmo.
    Conheço mulheres que deixaram de se casar novamente por medo disso, por ter filhas e colocar homens em casa. Se pai estupra filha, imagina padrasto. Tem de montão. Infelizmente. :(

    ResponderExcluir
  8. Dê, eu nunca pensei em mudar de religião por causa desse tipo de coisa. Acho que nenhuma é perfeita e eu sempre tive comigo que precisava sim ajudá-la a mudar, a crescer e presenciei e participei disso muitas vezes. Há trabalhos e movimentos maravilhosos. O Gilson sabe bem disso porque também é católico e praticante, engajado. O mais difícil é conviver com pessoas, pois não são perfeitas.
    Também tenho certeza que muita gente da Igreja, inclusive muitos padres estão contra o que aconteceu, com essa intervenção do Arcebispo. Só que não podem sair por aí falando, mas fazem seu trabalho junto de sua comunidade, inclusive em relação a outros assuntos.
    O bom é que os médicos realizaram seu trabalho e a menina não corre mais risco. Mesmo que não fosse o estupro, imagina o corpo dessa menina gerando gêmeos. Enfim, só quem pode julgar é Deus e Ele é misericordioso. Odeia-se o pecado mas ama-se o pecador.Para mim não devia existir lei contra o aborto. Acho que cada mulher devia ter o direito de tomar sua decisão e as que creem, responderiam por isso, ninguém mais. Cada um sabe seus motivos e Deus tb. Não haveriam tantas mulheres morrendo na mão de açogueiros.

    Gilson, qto a mãe... isso acontece todos os dias. Tb não entendo. E ainda tem as que sabem e são coniventes,muitas dizem que por medo. Só Deus mesmo.
    Conheço mulheres que deixaram de se casar novamente por medo disso, por ter filhas e colocar homens em casa. Se pai estupra filha, imagina padrasto. Tem de montão. Infelizmente. :(

    ResponderExcluir
  9. Essa realidade é de uma tristeza sem tamanho; na comunidade onde trabalho há vários casos semelhantes, inclusive de um avô que abusou da neta.

    Dá vontade de capar TODOS esses filhos da puta!!

    Acabei de receber o informativo da GloboNews e nele veio a notícia de que o aborto foi feito, e a menina passa bem.

    Entretanto, o Arcebispo, indignado (???), excomungou a equipe médica que fez a intervenção cirúrgica. Que misericordioso.

    O Arcebispo quer salvar vidas. Compreendo. Ele auxiliaria no sustento dos gêmeos? Ele seria capaz de reverter o minimizar o efeito psicológico de uma criança ser mãe de duas crianças? Ele se comprometeria a ajudar a prender o filho da puta que abusou das meninas? Eu duvido muito.

    Condenar é fácil, quando se tem um teto seguro sobre a cabeça, uma mesa farta e uma proteção hierárquica...

    ResponderExcluir
  10. Essa realidade é de uma tristeza sem tamanho; na comunidade onde trabalho há vários casos semelhantes, inclusive de um avô que abusou da neta.

    Dá vontade de capar TODOS esses filhos da puta!!

    Acabei de receber o informativo da GloboNews e nele veio a notícia de que o aborto foi feito, e a menina passa bem.

    Entretanto, o Arcebispo, indignado (???), excomungou a equipe médica que fez a intervenção cirúrgica. Que misericordioso.

    O Arcebispo quer salvar vidas. Compreendo. Ele auxiliaria no sustento dos gêmeos? Ele seria capaz de reverter o minimizar o efeito psicológico de uma criança ser mãe de duas crianças? Ele se comprometeria a ajudar a prender o filho da puta que abusou das meninas? Eu duvido muito.

    Condenar é fácil, quando se tem um teto seguro sobre a cabeça, uma mesa farta e uma proteção hierárquica...

    ResponderExcluir
  11. Concordo com a Luci, muitos não concordam e orientam seus fiéis. Nas paróquias os padres avaliam cada caso isoladamente, e tomam medidas mais modernas e adequadas a realidade. Católico usa pílula, camisinha e etc.

    ResponderExcluir
  12. Concordo com a Luci, muitos não concordam e orientam seus fiéis. Nas paróquias os padres avaliam cada caso isoladamente, e tomam medidas mais modernas e adequadas a realidade. Católico usa pílula, camisinha e etc.

    ResponderExcluir
  13. Existe bons e maus "profissionais" em toda área.
    O que me aborrece muito é que tudo que acontece onde a Igreja pode ser condenada, tem todo destaque.
    Tem tantos padres, freiras, missionários, fazendo trabalhos belíssimos. Mas isso não dá ibope, não vende jornal.

    ResponderExcluir
  14. Existe bons e maus "profissionais" em toda área.
    O que me aborrece muito é que tudo que acontece onde a Igreja pode ser condenada, tem todo destaque.
    Tem tantos padres, freiras, missionários, fazendo trabalhos belíssimos. Mas isso não dá ibope, não vende jornal.

    ResponderExcluir