21 de mai de 2010

palmada ou castigo?


Assisti uma reportagem sobre a lei que vai proibir a palmada educativa. Os pais que descumprirem a lei terão que ir ao psicólogo ou psiquiatra. Minha primeira reação foi rir ao pensar que se essalei existisse quando eu era menina, ía faltar psicólogos e psiquiatras para atender os pais.
Agora falando sério: Isso é uma utopia e falta do que fazer, porque hoje não conseguem cuidar das crianças que são espancadas e violentadas em suas próprias casas. Quem vai tomar conta de quem está dando palmada na bunda do filho? Fala sério, não é?
Na reportagem foi entrevistada uma mãe que disse que só uma palmada dá jeito no filho. Que sempre que tem que parar algo prá estudar o filho dá birra e não quer. Ela fala uma, duas, tres vezes e aí dá uma palmada e resolve. Aí eu pergunto: Porque isso acontece? Respondo: Falta de respeito. Minha mãe só falava uma vez e pela seriedade dela já corríamos prá fazer o que tinha que ser feito. Prá mim é isso, pai e mãe só deve falar uma vez. Bater? Não sou a favor não. Mas castigo é fundamental. Minha sobrinha ainda era bem pequena quando foi apresentada ao castigo e hoje, com 15 anos, se bobear ainda fica de castigo. Muitas vezes ficou sem ir a uma festinha, sem tv, sem computador e coisas assim.
É por falta de limites, de respeito que vemos crianças e jovens fazendo coisas que nunca imaginávamos ver, mas tem que começar de pequenino, depois não consegue mais.
Uma coisa que me irrita é ver criança fazendo birra e pai e mãe ali tentando convencer o filho a parar aff Afinal quem manda em quem? Eu não fui birrenta, mas meu irmão fez poucas birras. Se estivesse na rua, sabe o que minha mãe fazia? Continuava andando como se nada estivesse acontecendo e ele aprendeu que tinha que correr atrás senão ficava se mãe hehehe Fazia algo errado na rua? Minha mãe não dava uma palavra até chegar em casa. Aquele silencio era assustador. Já sabíamos o que nos esperava quando chegássemos em casa. Mais uma vez digo que não acho que deva bater, mas precisa sim de um castigo, pois pensará duas vezes antes de fazer novamente.


E você, o que acha?

19 comentários:

  1. Luci, essa é muito boa,,, proibir palmada educativa. E a fiscalização?
    Bom primeiro acho que nenhuma palmada é educativa.
    Segundo que os pais devem mostrar desde a hora que a criança nasce, quem é dono da situação.
    E terceiro, nada melhor do que bons castigos.
    Para mim você falou tudo corretamente. Boa mensagem para muitos e muitos pais que eu mesma conheço.
    Eu converso muito e no meu território mando eu. Amo as crianças e as respeito assim como qualquer ser humano, pois é isso que elas são.

    Um grande abraço Luci.
    Adorei teu post.
    Xeros

    ResponderExcluir
  2. Bom dia, Luci, de fato, o que falta em nossas crianças, de hoje, são limites. E para isso necessário se faz umas palmadas sim. Boa postagem. Bom final de semana, beijos ;)

    ResponderExcluir
  3. Luci
    Independente das palmadas, acho as crianças de hoje em dia um pouco "sem limites". Quando criança, meus pais tentavam me educar pelo tom de voz, acho que apanhei super pouco (uma vez pelo que me lembro). A minha educação foi super rígida, mas não discordo do modelo. Acho que sou uma adulta mais consciente do que seria se tivesse aprendido algumas coisas pelas próprias pernas...
    Beijos
    lelê

    ResponderExcluir
  4. Amiga,

    Hoje em dia a maioria dos pais ficam nas mãos dos filhos, o que eu não acho certo, pois a criança faz o que quiser e não tem nenhum limite. Respeito?? tem uma frase que diz "dar respeito para ser respeitado" e deve ser assim desde pequeno, pq depois que cresce já é tarde demais e não tem como se exigir respeito.

    Também sou a favor do castigo. Posso contar nos dedos quantas vezes apanhei, porém castigo já tive vários, como: minha mãe deixar de falar comigo por um bom tempo (o que, como vc falou, é assustador rs), ficar no quarto pensando sobre o que eu fiz (não como a foto, que por sinal, esta hilária huahuahuahua), enfim, vários outros que não me recordo. Hoje, eu até agradeço a minha mãe e o meu pai por tudo que fizeram por mim, pois sem isso eu não seria quem sou hoje. (e não fiquei com nenhum trauma huahuahua)

    Beijinhos e ótimo final de semana!!!

    ResponderExcluir
  5. Acho q todo mundo tomou uma palmadinha ou outra qdo era criança e nem por isso ficou traumatizado, virou serial killer ,etc

    Em vez de se preocupar em melhorar a escola, a educação... acena-se com uma lei esdrúxula dessas.
    Isso sim é palmada, na educação!

    ResponderExcluir
  6. Olá amiga!
    Eu sou mãe de três crianças e sei os desafios que elas me trazem todos os dias, várias vezes por dia. Dizem que meus filhos são educados e tento educá-los como fui educada: com respeito e limites. Acontece que esse tipo de educação dá trabalho, estressa, cansa e os pais atuais não querem e não têm tempo para isso. Tudo é na velocidade da internet, mas educar uma criança.... isso demora! Eu digo que sou mãe à moda antiga e meus filhos serão pessoas ricas em valores e caráter. A maior parte dos pais perdem o sono para poder comprar roupas da moda e bicicletas iradas. Eu perco o sono quando tento ser uma mãe melhor... Amei seu texto!
    Beijos e um bom final de semana!
    Karina

    ResponderExcluir
  7. Quem nunca levou umas palmadas quando criança ou teve algum castigo não? Eu acho que uma boa conversa é capaz de resolver as coisas sem que precisemos partir pra violência.

    ResponderExcluir
  8. Acho que o estatudo da criança e do adolescente veio pra ajudar a corrigir alguns dos abusos vigentes na educação brasileira e tem seu valor, mas acho que também os pais sabem os filhos que têm se os conhecem intimamente.

    Isso é fruto de relacionamento, de convivência e te juro, minha filha com tanta conversa, não aceita qualquer resposta e monossilábicos ela geralmente questiona.

    Infelizmente já recorri ao cantinho pra pensar (nem sempre funcionou) e até a palmadas.

    Humilhação e desrespeito não educam, mas acontecem em muitos lares, porque também temos uma geração que confundiu autoridade e leberdade com autoritarismo. Vemos os pais se justificando pros filhos ao invés de explicarem os motivos de dizerem NÃO e SIM. E ficam reféns dos filhos!

    Ter medo é diferente de ter respeito, e muitos pais temem os chiliques dos filhos.

    meu pequeno tem 1 ano e4 meses e se jogou no chão algumas vezes, mas já descobriu que não leva nada com isso, tanto que meu silêncio está fazendo com que ele mude de estratégia pra conseguir o que quer...

    Todos vamos sempre tentando acertar, errando e aprendendo, é claro.

    Beijo enorme! Bom fds!
    Ingrid

    ResponderExcluir
  9. Infelizmente, a meaternidade foi uma das coisas que perderam o sentido nesses tempos modernos... Uma pena!
    Eu tive uma criação muito maluca: passava temporadas em casa de parentes, pois minha mãe não teve condições de me criar (mas isso é uma looonga história), e como criança consegui absorver as regras de cada família que convivi. Resultado: hoje, adulta, consigo ter uma maior capacidade de compreensão pelo próximo, uma vez que cada história é contada através do ponto de vista do locutor...

    qaundo engravidei meu primeiro sentimento foi de plenitude: enfim, vou TER minha própria família!!! Passado esse sentimento, veio a angústia.
    Como eu conseguiria passa à minha filha valores se eu fui criada "embolando" #como dizia meu pai#???
    Deixei que Deus inundasse minha vida e decidi que faria por minha filha o que não foi feito por mim.
    E hoje, procuro dar atenção, carinho, amor, e acima de tudo: confiança. Eu tive tudo isso, só que um pouquinho em cada casa...

    Hoje Marya Clara está com 6 anos e sempre me conta tudo o que faz; certo ou errado. Antes de ontem ela bateu em uma amiga da escola, e quando chegou me mostrou logo a agenda: "eu já sei que tô de castigo..." conversei com ela, e ela realmente ficou de castigo...

    Eu vejo muitos pais que suprem o carinho com objetos, e o mínimo tempo que passam com os filhos é mal aproveitado.

    Que é contra lei e imoral espancar uma criança todo mundo sabe, mas acho muita falta do que fazer essa lei...

    ResponderExcluir
  10. Bem, eu penso como minha mãe: pé de galinha não mata pintinho. ^^

    Uma palmadinha de vez em quando cai bem. Eu levei algumas quando criança, e não condeno nenhuma delas. Na verdade, acho até que apanhei pouco, hehehehe!

    O que eu acho que é, como sempre, os legisladores se deixam levar por situações alarmantes e acabam criando leis absurdas que, em verdade, tem apenas intenção eleitoreira.

    Estão querendo criar essa Lei da Palmada, aposto, por conta daquela mulher maluca que torturou aquela pobre criança. Porém, essa correspondência é absurda, porque coloca no mesmo patamar a mãe que dá uma palmada corretiva e uma louca psicopata que maltrata crianças. Nada a ver.

    Espero que o projeto de lei não seja aprovado.

    Beijocas!

    ResponderExcluir
  11. Não concordo com palmada, mas daí a virar lei para proibi-la pra mim não faz sentido algum.
    As melhores soluções são conversas sempre e castigos.

    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Oi, Luci,
    Acho bobagem essa lei. Não vai funcionar. Na minha opinião deveriam haver penas muito severas para os maus-tratos aplicados às crianças. Estatística que vem aumentando a cada dia, em todos os lugares, até mesmo em famílias "estruturadas",de ótima situação financeira, cujos pais têm bom nível de instrução. Antigamente os maus-tratos eram atribuídos à ignorância e pobreza dos pais...Argh!
    Bom, eu tive(e tenho) 2 experiências. Minha filha de 19 anos recebeu algumas palmadas, sim. Eu tinha a idade que ela tem hoje e estava repetindo o modelo de educação que tive em casa. Conforme eu fui amadurecendo, vi que não tinha sentido a palmada. Mas a filha cresceu...e aí eu tive outra filha. Grande oportunidade de acertar. Faço uso da palavra. Sempre. Tem funcionado. Banquinho do pensamento, só em casos de muita teimosia, o que é raro. Me sinto muito mais feliz como mãe.
    Adorei o post!
    Grande beijo!

    ResponderExcluir
  13. Luci, recebi poucas palmadas quando criança e não tenho o minimo trauma. Bati uma única vez na minha filha e doeu mais em mim do que nela. Mas, acho que uma palmada as vezes pode resolver, embora eu seja muito a favor da conversa e do castigo, em ultimo caso.
    Ah! Obrigada pelo seu comentário no meu blog!!! beijinhos

    ResponderExcluir
  14. GENTE PELO AMOOOOOOR DE DEUS.


    ENTENDAM AS ENTRELINHAS:


    > é claro que ninguém vai fiscalizar isso !!!!

    A IMPORTÂNCIA de CRIMINALIZAR ESTA AÇÃO é que:

    -em casos de ABUSOS (Palmadinhas que se transformam em espancamento)existirá uma LEI, onde o autor do crime será indiciado.

    > Essa lei só vem para ajudar e trazer um REFORÇO ao ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente).

    > GENTE NÓS SOMOS MULHERES INTELIGENTES ( que eu ainda considero), POR FAVOR !!!!!!

    Antes de sair por aí distribuíndo grandes avaliações, LEIAM o PROJETO DE LEI para no MINÍMO saber qual será sua verdadeira utilidade.

    > Ele é apenas mais uma FERRAMENTA para a VARA DA INFÂNCIA poder atuar com mais INSTRUMENTOS DE PUNIÇÃO.


    > Os pais e as pessoas que não abusam do poder que tem sobre os filhos ou crianças, ÑÃO PRECISAM SE PREOCUPAR COM ESSA LEI.

    Agora se vc USA e ABUSA da violência ou FORÇA a imposição de suas idéias para educar as crianças, REALMENTE VCS TERÃO MOTIVOS PARA SE PREOCUPAR.

    ResponderExcluir
  15. Anônimo(a), aó tenho uma coisa a lhe dizer: estamos no Brasil.

    Legislação no Brasil, quando aprovada às pressas, é mal feita e gera mais problemas do que soluções. Que o digam a malfadada Lei dos Crimes Hediondos.

    Crimes de lesão corporal, maus-tratos, abandono e afins constam todos do Código Penal, e não me lembro de requererem leis complementares para serem aplicados.

    E, quanto ao ECA... Bem, melhor não comentar. Afinal de contasd, trabalho em uma Escola Municipal e vejo quase todos os dias o que, na prática, o ECA se tornou.

    Bem, é isso.

    ResponderExcluir
  16. O que eu acho? Eu sempre fui uma criança quieta, mas aprontei algumas vezes e levei algumas palmadas. Não fiquei traumatizada, não odeio meus pais por conta disso e sinceramente admito que nas situações eu mereci mesmo levar as palmadas que levei.
    Nos meus filhos a muuuuuito tempo não dou palmada, a minha filha por exemplo, tem 5 anos e nunca levou. Porém, consigo ainda controlá-los. Como? Eu cumpro o que prometo. Se fez algo errado digo: pára com isso, ou nós vamos levantar e acabou o passeio!
    Se não se comportou cumpro o que falei. Uma vez disse a meu filho que se não recolhesse os brinquedos, eu os iria doar à primeira crinaça que passase na rua. E assim o fiz. Portanto, quando eu digo algo, eles logo obedecem porque sabem que haverá consequências.
    Além disso, meu marido diz que tenho olhar fulminante. Eu nunca acreditei muito até que um dia brincando com o Gabriel, disse que eu ía ficar brava com o pai dele, ele correu até mim e tapou meus olhos! Achei graça, meu olhar comprovadamente vale mais que as palavras, rsrsrs.
    Com o passar do tempo as crianças vão ficando cada vez mais espertas e nos testando cada vez mais. Vamos ver até onde vai minha habilidade em me antecipar, me renovar, etc para sempre poder saber como impor os limites. Mas fácil não é, com certeza.

    Bjs, Elaine

    ResponderExcluir
  17. Luci, concordo contigo.

    Aqui em casa é na bse do castigo também.

    Bom fim de semana

    Bjao

    ResponderExcluir
  18. Luci
    Muitos já falaram tudo e mais alguma coisa.
    É como vc diz ditar a lei, falar que devemos fazer isso ou aquilo é muito fácil, mas vai educar uma criança num mundo onde a comunicação está aí a nossa frente e a violência, as más companhias, enfim o respeito de nosso tempo está difícil de se encontrar.
    Sou do tempo que só um olhar bastava e saiu da linha era castigo na certa. Castigo para valer mesmo e não os castiguinhos de um minuto.
    Sou mais de um bom papo do que uma boa surra.

    Falo na Mamyrene sobre um tema que
    postei na Vitrine de Sonhos que é sobre Crianças de Rua - aí sim é que perguntamos o que devemos fazer.
    Beijos

    ResponderExcluir
  19. sE ISSO PEGA.... VOU VIVER NA PSOICOLOGOA, NÃO QUE EU BATA NA ALICE, MUITO MENOS ESPANQUE DEUS EM LIVRE, MAS UM TAPINHA NO BUM BUM NÃO FAZ MAL A NINGUÉM EU QUANDO CRIANÇA APANHEI FUI DE CASTIGO E NEM POR ISSO FIQUEI TRAUMATIZADA, ISSO É MEMSO COISA DE QUEM NÃO TEM O QUE ELABORAR, PQ NÃOS E PREOCUPAM COM OUTROAS COISAS AFFFFFF RSRSRSR.

    ResponderExcluir