1 de jun de 2010

Bom dia!
Chove, chove e chove aqui no Rio. Foi assim por toda a noite e pelo jeito isso vai longe. Acordei quase 10h porque consegui dormi já devia ser quase 3h da madruga :(. Fiz meu café e vim prá cá assisitr o jornal das 10 da globo news e ver as novidades na net.

O assunto do dia é o ataque de Israel ao navio que levava ajuda para os palestinos que vivem na faixa de gaza. Você já notou que tudo que acontece pelo mundo sempre tem brasileiro no meio? Pois temos uma brasileira detida, é Iara Lee, cineasta e ativista.


Aqui tem uma entrevista que ela deu por telefone. Estou escrevendo sobre ela, porque queria dizer o quanto eu admiro as pessoas que se dedicam dessa forma por uma causa. Admiro as pessoas que não ficam só em palavras, mas que participam de atos, mesmo sabendo que sua vida corre risco. Ela deve ser deportada e já disse que continuará sua luta.
Parei para pensar quantas "guerras" existem hoje. Quantos povos sofrem. Quantas pessoas que gostariam de ter apenas uma vida simples e tranquila, com um mínimo, sofrem as consequências dessas brigas, dessas diferenças. Quantas vidas oprimidas, sem liberdade, sem alimentação, saúde, educação. Quantas pessoas acordam e dormem com medo.
Aqui no nosso país falamos dessa nossa falta de liberdade de ir e vir por conta da violência. Falta de educação decente, de saúde satisfatória e ainda temos gente morrendo de fome, sim, temos isso no Brasil. Nada disso estaria acontecendo no nosso país se existisse "boa vontade" dos nossos políticos.
Me pergunto: somos nós privilegiados diante de tudo isso que assistimos? Sim, nós somos. Mas isso não deve nos impedir de lutar por algo melhor. De lutar para que tantos tenham um mínimo para viver nesse nosso país tão rico e desigual.
Será que é esse tempo chuvoso e esse dia cinzento que me deixou assim? É, pode ser, mas eu não deveria me esquecer de tudo isso no meu dia-a-dia. Não esquecer me faz valorizar mais o que tenho e procurar fazer um pouco mais por tudo isso. Sempre podemos fazer um pouco mais.

8 comentários:

  1. é... luci! A situação aqui é ruim, mas podia ser pior... No fim essas questoes de morros e guerra de trafico sao bem parecidas com as guerras la fora... mas mais sutis! beijos

    ResponderExcluir
  2. Luci
    Eu entendo o seu ponto de vista. Pq moro em um país que posso andar tranquilo pelas ruas, sem me preocupar com carteira, celular, segurança. Por incrível que pareça, morei em Tokyo (que é uma das maiores cidades do mundo) e sequer meu apartamento tinha chave! Só fechava por dentro, por fora não. E nunca aconteceu nada.

    Acho que é a única coisa que estraga o Brasil: a desigualdade social. Se não fosse por isso, era um dos melhores países do mundo. Tem beleza natural, gente boa, potencial.

    Ouvi a entrevista e admiro o idealismo que tem a cineasta. Ela acredita em uma causa e batalha por ela. Ela está certa, nossa vida tem que valer a pena por algum motivo, causa, idealismo. Mas ela está sendo muito criticada também: por ser praticamente uma coreana, porque não luta pela unificação coreana?
    bjs

    ResponderExcluir
  3. Querido amigo! Sabe o que penso sobre isso? É fácil criticar e julgar, não é? Me pergunto o que essas pessoas que a estão criticando fazem para termos um mundo melhor.
    O que leva uma pessoa a escolher uma causa para lutar e não outra,só ela pode saber.

    beijo grande

    ResponderExcluir
  4. Oi Luci. Isso eu tb achei um absurdo. Cada um vai com a causa que vai no coração, não é? Não é pq ela é de origem coreana que ela deve ater-se apenas aos problemas coreanos.
    O povo critica muito. Por isso é melhor a gente fazer o que o coração diz e não ouvir a torcida.
    Bjs, obrigado pela resposta!

    ResponderExcluir
  5. Às vezes eu tb tenho essa sensação de estar fazendo pouco pela comunidade e tenho vontade de ajudar ainda mais mas uma coisa é certa, não podemos reclamar de nossas vidas perto da realidade tão dura de outras pessoas e povos. Podemos sim lutar por melhorias mas há gente me situação tão complicada que dá pena.

    ResponderExcluir
  6. Oi, Luci,
    A desigualdade social é um problema seríssimo nesse país. Infelizmente os políticos não fazem(nem farão) algo para que essa situação comece a mudar...Sabe, reparei que aqui em Niterói a população de rua está crescendo cada vez mais. É muita gente que não tem pra onde ir...triste demais!
    Beijo grande!

    ResponderExcluir
  7. Oi, Luci

    Também acho! Sempre podemos fazer mais. Na verdade, temos que fazer mais. E melhor, também. Somos herança da nossa confusa e descaracterizada colonização, mas somos também os responsáveis pelas coisas que não gostamos e não queremos em nosso país. Podemos individualmente mudar o curso do país? Não. Mas juntos, sim. A história fantástica do povo judeu os levou à luta pela nova terra, mas àquela alma aguerrida somou-se uma personalidade tão beligerante que, sinceramente, não vejo como fazer a paz em um lugar sagrado onde dois povos se consideram donos, onde um é muito, muito, muito mais forte e rico que o outro, e que é enfrentado tão somente por pedras e pedaços de pau. É de uma injustiça tão gritante! Mas também é injustiça gritante ver que alguém faz uso de um dinheiro público para enriquecer pessoalmente.
    Um dia chuvoso sem dúvida dispara o nosso pensamento e a nossa reflexão.

    Bom passar por aqui para falar disso. beijos

    ResponderExcluir
  8. Sim Luci
    Temos que dar valor ao que temos e não reclamar, somos abençoados se olharmos a nossa volta e cabe a cada um de nós fazer umm pouco mais por tudo isso.
    Uma beijoca minha vida.

    ResponderExcluir