28 de set de 2010

prá não dizer que não falei das flores

´"Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer"

Quantas pessoas conhecem esse refrão? Quantas já o cantaram em algum momento? Muitas! Porém muitas pessoas não sabem quem é o autor e nem quando surgiu.

Festival da Canção, 1968, Geraldo Vandré canta "Pra não dizer que não falei das flores", música que ficou conhecida como "Caminhando". Música que ficou conhecida como um hino da resistência militar e que até hoje é cantada  e lembrada. Quantos e quantos artistas regravaram a música.
Veio o exílio e mesmo após ter voltado ao país, Vandré se impôs um exílio dentro do Brasil. Após mais de 40 anos, no dia que completava 75 anos,  ele falou pela primeira vez num dos meus programas preferidos, o Globo News Dossiê, com Geneton Morae Neto.
Confesso que me emocionei assistindo a entrevista. Muitas imagens e sentimentos borbulharam dentro de mim. Queria tanto que muitas pessoas assistissem e refletissem. Mandei o link para amigos que tenho certeza vão amar assistir e deixo o link aqui para vocês. Não vou contar nada, só dizer que vale a pena, que ao menos uma frase, entre tantas importantes, poderá fazer você pensar, lembrar, sentir, refletir. 
Esse é o link para o site do programa onde você poderá assistir ao vídeo com a entrevista, e também encontrar muitas outras ótimas entrevistas. Se você não tem NET, sugiro guardar o link.    Globo News Dossiê.

"Caminhando" ficou em segundo lugar, perdendo para Sabiá de Chico Buarque e Tom Jobim. Nesse vídeo, som original, pois não existe imagens da apresentação de Vandré.



Caminhando e cantando
E seguindo a canção
Somos todos iguais
Braços dados ou não
Nas escolas, nas ruas
Campos, construções
Caminhando e cantando
E seguindo a canção...


Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer...


Pelos campos há fome
Em grandes plantações
Pelas ruas marchando
Indecisos cordões
Ainda fazem da flor
Seu mais forte refrão
E acreditam nas flores
Vencendo o canhão...


Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer...


Há soldados armados
Amados ou não
Quase todos perdidos
De armas na mão
Nos quartéis lhes ensinam
Uma antiga lição:
De morrer pela pátria
E viver sem razão...


Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer...


Nas escolas, nas ruas
Campos, construções
Somos todos soldados
Armados ou não
Caminhando e cantando
E seguindo a canção
Somos todos iguais
Braços dados ou não...
Os amores na mente
As flores no chão
A certeza na frente
A história na mão
Caminhando e cantando
E seguindo a canção
Aprendendo e ensinando
Uma nova lição...


Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer...


Das músicas de Vandré, são 57, a minha preferida é "Disparada". Eu era menina quando Jair Rodrigues a defendeu no Festival de 1966. Sim, eu tinha 7 anos. Não entendia o que a letra queria dizer, mas a música me encantou. Tenho a lembrança de pedir uma revista emprestada para copiar a letra.





Contam que a coisa mais difícil foi fazer o Jair cantar ficando sério, pois todo mundo sabe como ele é risonho.


Espero que tenham gostado do post e aproveitado


beijos e um ótimo dia!!!

8 comentários:

  1. Menina, eu assistia esses festivais da TV quando era criança....... gente, faz tempo.... kkkkkkkkkk. Só tinha fera cantando e compondo. Tão diferente das 'cachorras' e mulheres frutas de agora..... kkk
    bjs
    Sônia

    ResponderExcluir
  2. Eu assisti e me emocionei também.Ele mesmo, depois de tudo, se impôs o silêncio...

    Adorei ver!beijos,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  3. Luci

    Não consigo assistir aqui da empresa, mas afirmo, sem sombras de dúvidas, que a música Disparada é minha predileta.

    Acho a letra linda, forte e comovente. Adoro-a tanto quanto a música de Almir Sater: Tocando em Frente.

    Ótimo post, Luci.

    Bjs enormes

    ResponderExcluir
  4. LUCI..
    nossa achava seriamente que o vandré havia morrido, pois pessoas que conheço o viram a anos atraz aqui no meu bairro e disseram que ele estava muito mal..
    que bom saber que está vivo.
    fiquei muito feliz, vandré é um artista que foi massacrado pelo regime e até hoje suas canções e pensamentos gritam forte dentro de nós.
    adorei querida, obrigada por compartilhar tão linda informação.
    irei lá no link.
    e jair eu adoro...essa música é linda e tem que ser cantada por ele...né??
    bjuivoas no seu coração .
    tenha uma semana de luz e paz.
    loba.

    ResponderExcluir
  5. Cara Luci,

    Em relação a meu comentário, o mesmo não falava mal da Dilma e sim do Serra.

    Em relação a ser dono(a) de um blog, nisso não concordamos mesmo, pois qualquer pessoa, de qualquer nacionalidade, cor, status social ou credo; pode entrar no meu e postar qualquer comentário; só não publico se tiver palavras de baixo nível, mesmo que essa pessoa nunca tenha comentado nenhuma vez.

    Só pra vc ter uma idéia, todos os seus comentários eu publiquei, estão lá, pode conferir.

    Pra finalizar, quero lhe tranquilizar dizendo que não vou incomodar mais vc, mas, me sentirei honrado se vc ir lá no meu blog e comentar sobre qualquer assunto a qualquer dia, sempre com argumentos, pois é assim que crescemos como pessoa e adquirimos mais conhecimentos.

    Grande abraço,

    Roberval Padilha

    ResponderExcluir
  6. Luci
    Que bom rever esses momentos. Assisti a esses festivais e também me emocionei demais e a cada vez que escuto essas músicas é como voltar no tempo.

    Beijos e um bom dia

    ResponderExcluir
  7. Cara Luci,

    Prometi não voltar, mas, como vc me cutucou...rsrsrsrsr...voltei.

    Realmente sou petista, o que muito me orgulha, porém, se um dia esse partido mudar o rumo e trair as minhas convicções, sairei dele sem problema.

    Sobre não conversar com petistas, informo que no meu ciclo de amizade tem pessoas de todas as correntes ideológicas, só pra vc ter uma idéia, tenho um irmão que já foi candidato a senador por um partido de extrema direita.

    Grato pela atenção.

    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Oi, Luci!

    Passando correndinho...

    Em 66 eu estava com 5 aninhos e me lembro perfeitamente dos festivais, tenho ainda os discos, tudo vinilzão. Tocar o Caminhando do Vandré era até perigoso, o vizinho podia ouvir e achar que a família era de subversivos, naquela época por qq coisa a gente era "subversivo", né?

    E viva a democracia, tomara que tenhamos segundo turno.

    Beijocas,

    ResponderExcluir