6 de jan de 2011

Eu sempre gostei de cumprimentar as pessoas em datas especiais, aniversários, natal, ano novo... Adorava escrever cartões de Natal e houve um ano que os fiz à mão, uma página de papel ofício com um desenho e um texto todo escrito a mão. Achei que as pessoas iriam gostar por ser algo diferente e feito para elas. Ninguém me deu retorno dizendo qualquer coisa q fosse sobre ele. Natal sentava com a agenda no colo e ligava para todas as pessoas especiais para mim, família e amigos. Ficava muito feliz a cada cartão recebido, a cada telefonema.
O tempo foi passando e as pessoas foram deixando isso de lado, mas eu insistia. O tempo continuou a passar e comecei a desanimar. A cada ano ligava para menos pessoas, ía descartando as que tinha certeza que receber ou não um telefonema meu não faria diferença. Aí você começa a ouvir as cobranças: "você nem prá me ligar!" e qual a resposta a não ser: "ué, porque você não me ligou?" e aí me chamam de malcriada, é difícil!
As pessoas adoram receber, mas esquecem de dar. Esquecem de cultivar. Esquecem de alimentar. O que mais se ouve nos últimos anos é "não tenho tempo!" . Ouvi muito isso e me perguntava: "só eu consigo arrumar tempo para o que é importante?"
Esse ano eu não fiz faxina só no final do ano, foi um ano de faxina. Faxinei sentimentos e pessoas da minha vida. Foram raros os amigos que receberma telefonema meu no aniversário e no próximo ano a lista será ainda menor. Natal e Ano Novo não liguei prá ninguém. Recebi um telefonema no Natal e um no Ano Novo. Essas são as pessoas que estão na minha lista de 2011.
Aí você pode achar que eu estou sendo radical de mais, que só vou dar para quem recebo, que devemos dar sem esperar nada em troca. Concordo, nunca dei nada esperando retribuição, mas para tudo há limites. Você concebe amizade de mão única? Onde só você dá e não recebe nada? Isso não é amizade. Sabe quantas pessoas da minh avida real souberam do meu acidente e me ligaram? Nem umazinha sequer!!!!! Em compensação na vida virtual foi um tal de uma falar com a outra tentando conseguir me fone e me ligando. Teve gente que queria vir prá cá cuidar de mim.
Se afastar de pessoas que você gosta não é coisa fácil, demanda tempo e sentimentos. Mas em 2010 eu fui aprendendo a não sentir falta, a respeitar o jeito de ser de cada um e até mesmo entender que eu não sou tão importante para algumas pessoas como elas são para mim. Acho que amadureci muito com isso tudo.
Não estou escrevendo tudo isso para me fazer de coitada, nem para que tenham pena de mim, nada disso, é só falando de coisas que acontecem na vida e que temos que enfrentar.Não consigo entender certas coisas. Na véspera do Natal, uma pessoa que gosto muito e diz me amar demais, como uma mãe, me mandou uma mensagem de Feliz Natal pelo celular. Prá mim é o fim da picada!
Ontem a noite eu estava pensando sobre tudo isso e me lembrei do Pequeno Príncipe

Os homens não tem mais tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo prontinho nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não tem mais amigos. Se tu queres um amigo, cativa-me
-Que é preciso fazer?
-É preciso ser paciente_ Tu te sentarás primeiro um pouco longe de mim, assim, na relva. Eu te olharei com o canto do olho e tu não dirás nada. A linguagem é uma fonte de mal-entendidos. Mas, a cada dia, e s
entarás mais perto
(...)
É preciso ter ritos.
-O que é um rito?
-É ma coisa muito esquecida também _ É o que faz com que um dia seja diferente de outros dias; uma hora, das outras."

Nenhum comentário:

Postar um comentário