12 de jan de 2011

Eu tinha alguns assuntos para desenvolver e postar aqui, mas hoje quando acordei e vi toda a tragédia que a chuva causou, perdi o tesão. Quem já acompanhava o blog no ano passado quando tivemos outras tragédias já sabe bem como me sinto. Não consigo impedir que muita tristeza tome conta do  meu coração.
Por outro lado isso me torna mais forte, mais gente, mais feliz, por poder ter tanto, por meus problemas nem serem problemas, por poder agradecer a Deus por tudo que tenho.
Vejo pessoas reclamando de tão pouco... Vejo pessoas procurando em quem colocar a culpa... e o pior, vejo pessoas colocando a culpa nas próprias pessoas por morarem nessas áreas... tão fácil julgar sem saber como é.
Me pergunto o que essas pessoas, além de reclamar, de colocar a culpa em alguém, de retuitar pedidos de ajuda, vão fazer na prática! Mas rapidamente tiro isso da mente e começo a pensar no que eu vou fazer.

6 comentários:

  1. "Vejo pessoas colocando a culpa nas próprias pessoas por morarem nessas áreas".
    Foi o que mais ouvi, de gente que comentou o que aconteceu. Como se morar mal fosse escolha da pessoa e não a única saída.
    Parece aqueles que dizem: foi estuprada, mas quem mandou usar saia curta? afff

    é triste mesmo o que aconteceu...

    ResponderExcluir
  2. O que acontece é que as pessoas estão trancadas em suas próprias bolhas de autoproteção sentem tristeza mas alívio por não pertecerem a esta categoria ou sofrerem da calamidade, então assistem mas pra ela nada mais é do que uma tragédia a mais, fato.

    Olha em Piracicaba SP( onde eu morava e vou agora de férias) o rio gerou uma enchente devastadora como nunca antes vista e acabou com a parte mais bonita da cidade que é a rua do porto, a área de lazer, sem falar nas milhares de casas perdidas...e desabrigados... o meu sogro relatou que os famosos da cidade, empresários estavam aproveitando o rio com a cheia pra andar de jet esky, passeio de bóias, e churrasquear nos barcos sem prestar qualquer ajuda ao povo pobre, despejado e faminto de suas casas...

    Ou seja quanto maior a tragédia vejo que é maior ainda a frieza do ser humano em dizer ainda bem que não estou lá, ainda bem que não preciso morar lá ou ainda bem feito quem manda morar lá...

    ResponderExcluir
  3. Luci,

    Admiro quem é capaz de, como tu, ter olhos de ver e braços que agem não apenas divulgando, mas incentivando outras pessoas a refletir e sair do comodismo.

    Em nome de quem precisa de doação de sangue (@HemoRio), flagelados (Cruz Vermelha está a postos!) e quem tem fé de que Rio e SP vão se reeguer, obrigada!

    Aqui no Sul a seca está devastando plantações, animais e quem depende disso pra viver. Queimadas estão acontecendo, semelhantes às que acontecem no Cerrado todos os anos...

    Mas essas tragédias que se repetem a cada início de ano não podem continuar. Precisamos de apoio governamental e de cobrar ações pra que as pessoas não precisem viver em zonas de risco... Podíamos fazer uma blogagem coletiva, não achas? Vamos pensar juntas???

    Beijo,
    Ingrid

    ResponderExcluir
  4. É verdade, né?
    Pessoas de fora sempre falam isso, mas não sabem que é o ÚNICO lugar que acharam para morar, pq o governo nunca ajuda!
    Agora é bola prá frente e ajudar sempre!

    bjo

    ResponderExcluir
  5. Oi, Luci,
    O pior é que todo ano acontecem essas desgraças...tanta tristeza, tanta gente que ainda nem conseguiu se reerguer! Sabe, eu estava tão concentrada no problema de saúde da minha filha e perguntava a Deus o porque de estar passando um momento tão difícil...mas isso que aconteceu me alertou pra que eu pare de olhar pro meu próprio umbigo...a minha filha está aos pouquinhos conseguindo alguma melhora, não é motivo para eu me desesperar!
    Obrigada pelo interesse, amiga!
    Beijo grande e bom dia pra você!

    ResponderExcluir
  6. Luci querida,

    É um quadro desanimador, principalmente pq o mais importante não tem volta - as vidas - e as autoridades apenas repetem discursos prontos.

    Beijo,

    ResponderExcluir