12 de set de 2012

como me tornei artesã - parte I

Esse post foi publicado inicialmente em 15/02/10

Eu recebo os comentários aqui no blog, porém algumas pessoas comentam também através do email que recebem sobre a atualização do blog (feed). Sinto qu e lá se sentem mais a vontade. Recebo elogios, também recebo críticas, mas numa boa, sem agressividade, apenas a opinião delas e muitas vezes se transforma num bom papo, e também questionamentos, por curiosidade. Então andei pensando que talvez devesse escrever sobre algumas coisas que também podem passar pela cabeça de quem lê aqui e não escreve, ou escreve mas também tem curiosidade e não pergunta, ou discorda, mas prefere não dizer temendo ser mal entendida. E sendo assim vou escrever hoje como me tornei artesã.
Com 12 anos comecei a me aventurar nos trabalhos manuais (era assim que chamávamos) e após passar férias na casa de uma prima que pintava fraldas para uma loja aqui do Rio, me entusiasmei e quis fazer também. A partir daí comecei a pintura em tecidos. Pintei muita camiseta, a turma adorava, pois podiam trazer o desenho que fosse que eu ampliava e pintava. Logo depois comecei a bordar. Tudo o mais foi vindo com o tempo. Sempre tive a facilidade em ver um tipo de trabalho e fazê-lo. Minha habilidade está no dna pois na minha família, tanto do lado paterno como materno, há muita gente habilidosa com as mãos. Então é algo que nasceu comigo, assim como a facilidade em cozinhar, coisa de família. Desde então sempre fiz meus trabalhos para ganhar um dinheirinho extra, mesmo estando empregada em algum lugar.

Tudo que eu queria era ser professora e fazer belas Artes. Fiz Escola Normal e me formei professora. Meu primeiro emprego foi numa escola e peguei uma turma de Maternal.


 minha primeira turma

a professorinha

Fui fazer faculdade de Literatura, pois Belas Artes nem pensar. Curso de horário integral e muito material e caro. Para quem precisava trabalhar para ajudar em casa realmente não dava. Tres anos depois fui trabalhar com mcursos livres. Mas como quase sempre aconteceu na minha vida fui levada para outros caminhos bem diferentes dos meus planos. Sendo assim, em dezembro de 1983 comecei a trabalhar no Mercado de Capitais sem ao menos saber o que era Bolsa de Valores. Fui contratada para atender os clientes que queriam investir em alguma coisa no Banco, mas como não conhecia nada, primeiro fui fazer estágios nos diversos departamentos para aprender. Acabei nunca assumindo essa função pois num dos departamentos acabei me destacando e ficando por lá mesmo.
Foi um longo caminho e cheio de desafios e dificuldades. Tres anos depois de começar fui morar em São Paulo e trabalhar na mesa de operações da Corretora de Valores,  a mesma que eu trabalhava no Rio chefiando o departamento de Investimentos. Nessa época se contava nos dedos de uma mão quantas mulheres trabalhavam como operadoras de Bolsa.
Contar essa história precisaria de muitos e muitos posts e não é essa a razão desse post, escrever sobre minha vida de operadora. Então vamos voltar a vaca fria :)
Trabalhei em São Paulo por 4 anos, em duas Corretoras diferentes. Nessa época já havia feito todos os cursos disponíveis para aprender o que podia, já sendo inclusive operadora habilitada para operar nos pregões da BOVESPA (Bolsa de Valores de São Paulo) e BM&F (Bolsa de Mercadorias e Futuros). Porém depois de 4 anos, num final de tarde, me deu aqueles 5 minutos que tive muitas vezes na minha vida, com diversos motivos, liguei para meu patrão que na época era Presidente da Bolsa de Valores do Rio de Janeiro e pedi demissão. "Vou voltar para o Rio".
Voltei a morar com meus pais e fiquei desempregada por exato 1 ano. Desempregada mas não parada, pois minha mãe era costureira e eu logo comprei uma outra máquina e passei a trabalhar com ela. Continuei procurando emprego no Mercado e numa noite, festa na casa de um amigo, soube que uma pessoa bem conhecida nesse meio ía abrir uma Corretora. Coloquei o currículo debaixo do braço e fui procurá-la com a cara e a coragem. Fui contratada! A Corretora fechou alguns anos depois, mas continuei trabalhando para ele, foram 16 anos. Éramos uma equipe de 4 pessoas que cuidava de tudo na vida dele, sim, ele é uma empresa rsrs
Há 3 anos e meio perdi meus pais num intervalo de 2 meses e nem preciso dizer como minha vida mudou, não é? Um ano depois fui demitida. O patrão já morava em São Paulo havia muitos anos e tinha muita vontade de levar o escritório para lá. Vários motivos fizeram com que ele fosse adiando essa decisão, mas chegou um momento em que tudo ficou propício e ele tomou essa decisão. Por que eu fui demitida? Não sei essa resposta! Aí você me pergunta: mas como não sabe? É verdade, não sei, mas suspeito do único motivo. Vou tentar explicar.
Eu cuidava não só de coisas no lado profissional dele, mas também de coisas da vida pessoal. Você ter uma relação direta com seu patrão por 16 anos, convenhamos que se cria uma história e uma forte relação. Por causa dessa relação, todo mundo dizia e acreditava que eu trabalharia com ele até o final da vida, que ele nunca me mandaria embora. A gente sabe que as coisas não são bem assim. Abaixo dele eu tinha um chefe e nossa relação nunca foi das melhores, haviam sérios problemas. Sim, eu melhor do que ninguém sei o que é assédio moral. Posso estar errada, mas creio que fui demitida por influência dele e talvez de uma outra pessoa, que aproveitaram essa mudança para São Paulo para se "livrarem" de mim. Não faço idéia do que foi dito.
O patrão fez questão dele mesmo me dar a notícia e conversar comigo e eu, gostando tanto dele, não tive a coragem de colocá-lo numa saia justa e perguntar o por quê.



esse menino que estou segurando a cabeça, hoje é diretor dessa mesma corretora








Muitas vezes atuei no pregão da Bolsa. Essa foto é no pregão da Bolsa de Valores do Rio do Rio de Janeiro, onde representei minha corretota em diversos leilões de privatização e descia sempre que necessário



Me desfiz de muitas fotos e guardei muitas com carinho. Porém a grande maioria não posso publicar aqui por conta de expor pessoas.

continua...

29 comentários:

  1. Nooossa! Nunca podia imaginar que vc era um mulher de negócios de empresa, essas coisas que dão nos nervos. Se bem que seu negócio com artesanato tbm é uma empresa, né? Só que de ramos diferente. Aguardo o próximo capítulo. Bjok.

    ResponderExcluir
  2. Minha querida adorei saber da sua vida , espero ansiosa pela segunda parte
    bjs

    ResponderExcluir
  3. Olha, que legal!
    Adorei saber mais da sua vida!

    Ma a mulé tinha (e tem, né ) poder, heim...valha-me Deus!

    Quanto a lista, já passei da metade \o/
    Mas meus cachorros pegaram carrapatos e fiquei catando os bichinhos antes de colocar o remedio. Isso foi ontem e hoje. E hpje também cismei de mexer no jardim, já que estava com montes de mudas para replantar.
    Resultado: minha (5) hérnias de disco atacaram, to de cama :(
    Mas adiantarei alguma papelada para não acumular!

    Obrigada por lembrar!

    Beijo e boa semana!

    ResponderExcluir
  4. Amiga, adoro vir no seu cantinho, adorei te conhecer melhor, eu já imaginava mais ou menos a sua historia, porque vc ja havia me dito que trabalhou nesse mercado. ë tao bom ter coragem de falar de nos mesmo, sem medo e sem máscara, nao é mesmo?
    Que bom que dividiu sua historia...estou adorando, parece que estou do seu lado te ouvindo e que vc pode contar comigo.
    beijos linda,
    Soraia Melo

    ResponderExcluir
  5. Guerreira! Nossa, gostei demais de saber um pouco mais sobre sua vida, sobre essa mulher determinada e inteligente.


    abraços


    Hugo

    ResponderExcluir
  6. Oi amiga, se eu já te admirava, agora então...
    Felicidades pra você e não esqueça que Deus esta sempre ao seu lado.
    Bjs + bjs de sua fâ n.1, n.2,n.3,4,5,6...
    Fátima

    ResponderExcluir
  7. Gostei muito de saber mais da sua história e confesso que não imaginava que vc tinha trabalhado nisso...acho que nunca imaginei uma mulher trabalhando com isso...rsrsrs...o que prova que vc deve ter sido uma mulher batalhadora.

    ResponderExcluir
  8. Olá Luci que saudades! Estou adorando a sua história e aguardo o próximo capítulo.

    Vou ler a postagem anterior, pois estou começando pelo fim.

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Luci, que engraçado!! Olhei as fotos e fiquei observando se não acharia algum parente, rsrsrsrs pois tenho dois cunhados no mercado financeiro à muuuuuito tempo. Um foi corretor da BM&F e outro trabalha com corretora de cambio (importações, acho). Ele trabalha como você mostra aí nas fotos, com dois telefones ao ouvido ao mesmo tempo e ainda prestando atenção ao que acontece em volta. ATé hoje consegue prestar atenção em vários assuntos ao mesmo tempo.
    O outro que trabalhou como corretor na BM&F agora trabalha na mesa de operações de um banco. Desde que o conheço há uns 20 anos, trabalha com o mercado. Não consegue sair do ramos pq ama isso, vício, mesmo com todo o stress e correria.
    Eu até hoje não entendo aquela gritaria toda e sinceramente nem sei se a gritaria ainda ocorre, com o tal pregão eletronico, rsrsrs

    Bjs, Elaine

    ResponderExcluir
  10. oi querida luci, adorei a sua historia de vida bjs

    ResponderExcluir
  11. Aguardo as cenas do próximo capítulo!! bjus

    ResponderExcluir
  12. Luci, muito bom, vc deve se orgulhar da carreira que teve, não é? Mulher de visão hein, bjo e boa tarde.

    ResponderExcluir
  13. Ah Luci tou adorando! Posta logo a segunda parte? Bjo!

    ResponderExcluir
  14. Amiga, já conhecia essa sua história, mas ler é sempre mais legal, até porque detalhes que às vezes passam na conversa, prestamos mais atenção na leitura - como os motivos da sua demissão.
    Aguardo os próximos capítulos!

    Bjs

    ResponderExcluir
  15. Que delicia de história !!!
    Adorei, cada passo e as fotinhas, vc sempre teve cabelo curtinho né ??
    Sempre fofa !!!
    Mas mulher, até na bolsa vc se meteu ??

    Ah, não esquece de continuar... quero saber tudo, srrsrsrs

    bjus 1000

    ResponderExcluir
  16. Adorei te conhecer um pouquinho mais. Nunca imaginei que vc fosse uma mulher que trabalhava numa corretora financeira! E Luci, vc não mudou nada! Seu rostinho é o mesmo. Muito linda vc.
    Beijos
    Adriana

    ResponderExcluir
  17. Eu sou nova nesse mundo do blog ,antes eu achava que tinha visto tudo ,lendo sua historia hoje ,tive a certeza que ainda tem muito para eu ver nesse mundo.
    vou ficar esperando a segunda prte.

    ResponderExcluir
  18. Puxa! Qta coisa, amiga! Parabens! De verdade!
    E mais PARABENS AINDA PORQUE VC GANHOU LA´ NO SORTEIO DO BLOGGGGGGGG!!!! UHU! AHA! ;-)

    ResponderExcluir
  19. Luci, te achei pelo blog da Fer, cheguei e FIQUEI! Adorei tudo aqui e quero a continuação da história :)

    bjokitas!

    ResponderExcluir
  20. Ei Luci, que chique, menina! Amei vê-la em um ambiente assim,diferente do atual.
    Legal demais ver fotos de tempos vividos.
    Obrigada por compartilhar.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  21. Eitcha, mulher de grandes histórias.
    Amei.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  22. Luci vc continua com o mesmo rosto!

    Que legalllll vc uma mega hiper operadora da Bolsa.... e hoje não é mais aquela loucura né....kkkkkkk

    Que legal... não sabia que era professora... hahaah vc tá com carade professorinha mesmo naquela foto afff lembrei das minhas fotos quando fui professora de ed, infantil mesma cara kkkkkkk tá vendo ainda bem que tu viu que ser professor não ia te dar muita coisa kkkkkkk

    Ai ai que triste isso é o que ando pensando... professor e bombeiro nesse país não tem o mesmo prestígio em outros...

    Gostei de ver as fotos super momento direto do tunel do tempo.

    Parabéns pela historia de vida... é invejável mesmo... quem tem as coisas de mão beijada não sabe dar valor mesmo.

    bjo

    ResponderExcluir
  23. Ahhh amiga coruja, tb trabalhei em corretora, só que de seguros, e confesso que quase fiquei louca kkk alias, acho que alem de louca surtada...

    mas amei ver suas fotas, me fizeram querer revirar as minhas mais antigas...bacana né?Vc valoriza muito a sua historia, e isso e tao importante pra nunca esquecermos realmente quem somos e de onde viemos, falo isso aos meus filhos sempre...

    Um beijao

    Fernanda

    ResponderExcluir
  24. eu já tinho lido essa sua história, mas é sempre bom relembrar... De certa forma, fico feliz com sua demissão, porque uma artista como vc não poderia ficar presa num emprego estressante como a Bolsa de Valores.
    bjs
    Sônia

    ResponderExcluir
  25. Vou acompanhar sua história, Luci. Gostei muito do que li, você tem uma vida rica de boas lembranças. E era (é)uma belezura de pessoa.

    ResponderExcluir
  26. Que legal,Luci te ver , saber de ti, tua história linda!! Adorei as fotos!! Que pose e empresária! Vamos continuar...

    beijos,chica

    ResponderExcluir
  27. Luci... é tão bom saber um pouco mais sobre você, sua história... as vezes nossos caminhos são traçados tão rápido que nos esquecemos dos nossos sonhos e nossos dons, porém nunca é tarde para volta-los a tona... Tudo acaba sendo bom por um lado ou ruim por outro, porém você ganha bastante coisa nesse tempo, experiência, amadurecimento, amizades... tudo existe um porquê ou uma razão que muitas vezes não sabemos... enfim... fico feliz em ler sua trajetória de vida e mais ainda em saber que hoje em dia você se sente mais realizada e fazendo o que realmente sempre gostou.

    Quero ler a segunda parte! rs

    Um grande beijo!

    Vivian

    ResponderExcluir
  28. Mulher que chique! Estou sem palavras. Você é uma pessoal muito legal e sem palavras para descrever amei a sua primeira parte de vida de artesã.

    ResponderExcluir