2 de ago de 2011

uma nova juventude

Ontem fiquei super feliz e esperançosa assistindo a uma reportagem no Jornal Hoje. São tantas as notícias ruins que leio sobre os jovens, que muitas vezes me pergunto sobre o futuro. Infelizmente notícias ruins dão mais ibope, mas felizmente de vez enquando notícias boas nos mostram que nem tudo está perdido.
Foi feita uma pesquisa com jovens entre 18 e 24 anos e se constatou que apenas 5% sonha em ficar rico. O jovem de hoje quer abrir o próprio negócio, trabalhar pelo social e coletivo e ser feliz. Não é uma notícia boa?
Com certeza serem filhos de uma geração que colocou o ganhar dinheiro em primeiro lugar, colocando todo o resto de lado, fez a diferença. Pais que não tinham/têm muito tempo para a família e ser feliz, não foi um bom exemplo. Conheço diversas pessoas assim. Trabalham, trabalham, trabalham. Trabalham para dar mais à família e no entanto ficam sem tempo de dar o mais importante. Não seria melhor ter menos e ser mais? Quando vêem o tempo passou, estão insatisfeitos porque não tiveram tempo para curtir as coisas boas e importantes da vida, não tiveram tempo de serem felizes, porque ser feliz está em pequenas coisas, é mais simples que se imagina.

A gente vê que para o jovem, tão importante quanto ter um trabalho estável, com segurança financeira, é ter um trabalho que traga também satisfação pessoal. Trabalho e felicidade é uma busca muito forte dessa geração jovem”, diz o sociólogo Gabriel Milanez.

Vejam alguns dados: 76% dos jovens acreditam que o país está mudando para melhor. 89% têm mais orgulho do que vergonha de ser brasileiro. Hoje o Brasil tem quase 26 milhões de jovens entre 18 e 24 anos.

Vocês podem ver toda a pesquisa em http://www.osonhobrasileiro.com.br
E podem assistir o vídeo com a reportagem AQUI

Outra informação me chamou a atenção. Sabia que trabalhos voluntários tinham algum peso no currículo dos alunos que queriam ingressar em Universidades nos EUA. Pois na reportagem mostra que nos currículos para trabalho, já aparece esse novo item e que as empresas estão dando valor a isso. Não é outra boa notícia?

Com certeza fiquei mais esperançosa, porque com todo esse pensamento, podemos esperar profissionais melhores, seres humanos melhores.  Bom dia!


8 comentários:

  1. Muito legal Luci, obrigada por compartilhar! No meio corporativo já se percebe isso claramente. Os canditados hoje querem qualidade de vida e um trabalho que dê prazer. Ninguém quer trabalhar focando apenas o salário. O salário conta assim como o ambiente, o estilo de gestão, os benefícios, a cultura organizacional e a imgem da empresa na sociedade. Isto demontra que realmente estamos evoluindo e que as questões do SER estão começando a ser resgatadas ainda que lentamente.
    Continuemos a fazer a nossa parte tentando ser melhor hoje do que ontem e buscando deixar algo de bom para nossos semelhantes.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. MTO LEGAL!
    dinheiro, por dinheiro, pra que?
    morreu, fica tudo.
    o melhor não é viver bem a vida, ser feliz, ter o suficiente para estar bem e tá bom demais?

    eu acho que o Brasil vai melhorar muito. tá vindo uma geração mais consciente das coisas, mais voltada para outros valores... e que tá buscando mais estudo, educação, não aceitando mais as coisas erradas. mto bom isso, Luci.


    bjs e bom dia!

    ResponderExcluir
  3. Luci,

    Sempre tive esperança nos jovens. Os jovens no mundo inteiro estão se voltando para a qualidade de vida, muito mais ser que ter. Essa pesquisa é um alento!

    Girassóis nos seus dias.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Excelente texto, Luci, reflete muito bem o que penso também.

    Vejo isso acontecendo aqui na minha casa. Para manter um bom padrão de vida, meu marido, que é médico, tem três empregos. E está sempre ausente por isso. Aí,fico pensando: não seria melhor viver apenas com o que é indispensável materialmente e tê-lo sempre conosco? Tenho certeza que sim.

    Em busca de tanto "ter" a gente perde momentos importantes do desenvolvimento dos filhos e do convívio familiar.

    Fico feliz por saber que essa nova geração tem outros valores. Ufa!

    Beijoca!

    ResponderExcluir
  5. Oi Luci,
    Que bacana!
    Acredito no potencial humano, e pelo visto uma nova mentalidade está surgindo. Isso é sinal de renovação, de transformação, de evolução humana.
    bj gde no seu coração

    ResponderExcluir
  6. Olá Luci!
    Mais um blog para seguir. Parabéns pela disposição em partilhar seus pensamentos.
    Abraço, Beth.

    ResponderExcluir
  7. Luci,
    Também assisti a reportagem e fiquei feliz, já que faço parte dessa geração. Que bom saber que há muitos jovens que pensam como eu!
    Abraços

    ResponderExcluir