18 de out de 2011

Que tipo de pessoa você quer na sua vida?

De vez enquando a vida ti obriga a uma parada, e isso ocorreu comigo no mes passado, quando o médico me mandou parar com tudo por conta de uma crise alérgica que teimava em não ter fim. Com isso, não só parei de trabalhar (pó de lixa, verniz, tinta etc) como a fazer algumas tarefas domésticas. Esses períodos são ótimos para pensar, para olhar prá dentro.
Há 5 anos, completados em setembro passado, eu me jurei não permitir mais que as pessoas me magoassem. Tá certo que a primeira vez não tem como evitar, mas as próximas... Nos meus pensamentos notei que havia esquecido esse juramento, assim como outras coisinhas. Vinha sendo magoada, uma vez atrás da outra e nada...
As pessoas formam uma imagem sobre mim, mas poucas me conhecem de verdade. O ruim é que essas pessoas formam essa imagem e pronto, nada mais muda, nãocontinua a ti conhecer. Você diz uma coisa e ela já diz que não é assim, que ti conhece bem. Tem aquelas que "acham", que tiram suas conclusões e pronto! Se me conhecesse tão bem saberia que não minto, que não estou aqui para criar uma imagem minha que não seja verdadeira. Muita gente me acha uma pessoa boa, e eu também me considero, sou incapaz de fazer o mal. Porém ser boa não é o mesmo que ser boba, que não ter personalidade, que não ter opinião.
Nesse período de  recolhimento eu me perguntei: Ei, o que está acontecendo? Cadê tudo aquilo que você traçou sobre relacionamentos? Como você anda se calando quando lhe agridem de forma baixa e má? Como você tem sido magoada por algumas pessoas que gosta e continua permitindo que elas façam isso uma vez atrás da outra?
A vida é feita de escolhas. Qualquer decisão que você tem que tomar, por mais simples que seja, você sempre tem no mínimo duas opções. Eu escolhi não permitir na minha vida pessoas que não me façam bem, que me magoem, que não contribuam para minha felicidade, por mais que eu goste dessas pessoas. A verdade é que precisamos saber o que queremos, precisamos saber que tipo de pessoa queremos na nossa vida. Não quero pessoas só para diminuir, aquelas que só tiram de você, quero pessoas para somar, para dividir, para contar quando eu preciso e não só quando elas precisam.
Quero ser uma pessoa melhor a cada dia e na minha vida quero pessoas que também pensem assim. Quero gente para trocar, para crescer junto. O resto... sinto muito.

18 comentários:

  1. Teu texto, como sempre, muito pertinente. Acho que desde que completei 30 anos me faço essa pergunta: que tipo de pessoa que quero na minha vida? Mas, mais recentemente, tenho me perguntado diferente, que tipo de pessoa quero ser para quem está ao meu lado.

    Por que no final, a vida é uma estrada de mão dupla, amizade é um dar e receber/confiar e aceitar na mesma proporção.

    Senão ficamos demais debulhando o mal-me-quer / bem-me-quer e nem percebemos que as pétalas que descartamos também contribuíam para a beleza da flor.
    Beijos e belo post

    ResponderExcluir
  2. belo post...é uma pergunta ótima, mas que eu ainda não tenho resposta pra mim, mas estou buscando...

    bjs querida...

    saudade

    ResponderExcluir
  3. Oi Luci.
    Acho que devemos ser tolerantes com as pessoas, mas tudo tem limite, não podemos nos deixar se acabar e sofrer para fazer bem ao outro.
    Devemos fugir deste tipo de pessoas sugadores, verdadeiros vampiros que sugam de nós tudo o que é bom, e nos envenenam...
    Tenho pessoas assim a minha volta, que infelizmente não depende de somente de mim a convivência, pq se dependesse, já seriam passado.
    Quero do meu lado pessoas normais com defeitos sim, pq todos temos, mas que tbm saibam valorizaraos que estão ao seu redor.
    E por aí vai... rsrsrs daqui a pouco o comentário vira um post
    bjs fica com Deus

    ResponderExcluir
  4. Oi, Luci! Eu me pergunto isso todos os dias. Mas é tão difícil afastar certas pessoas da nossa vida. Elas teimam em ficar. Uma amolação!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Texto ótimo, Luci, seus textos sempre me fazem pensar muuuuuuuuito, sempre lembro de sua postagem Há Amor em Mim, acho que vou levar aquilo ali pra sempre em minha vida, sabe???
    Obrigada por sempre compartilhar coisas ótimas.
    Mil Beijos :]

    ResponderExcluir
  6. Disse tudo Luci!!
    Também andei passando por isso,deixando pessoas que gosto me magoar e ficar sem ação diante disso.
    Então como não tive uma atitude no momento, preferi me afastar e assim ficar perto de quem me quer bem de verdade.
    E lendo, vc me inspirou a escrever um post...
    Abraços

    ResponderExcluir
  7. Acho que com o amadurecimento é que conseguimos distinguir um pouco mais as pessoas. Aprendemos mto com os erros e até mesmo com essas pessoas que precisamos afastar. Às vezes PRECISAMOS conviver com pessoas que gostaríamos de afastar. Às vezes temos pessoas legais por perto, mas que o ideal seria manter uma distância segura. Isso eu ainda to aprendendo: manter a distância segura. Com 30 anos de idade, às vezes me sinto com 15, quando percebo erros primários e decepções. E ter que conviver com essas coisas, por mais que eu não queira... é complicado mas... VIVENDO E APRENDENDO!
    Temos que aprender a lidar com as duas situações: o afastar pessoas que não nos acrescentam nada e o conviver 'afastada' de pessoas que não sabemos bem quem são...
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Esta certa Luci, tudo o que nos deixa pra baixo deve ser descartado. Suas palavras sempre muito sábias. Adorei o post. Ótima semana.

    ResponderExcluir
  9. Concordo com suas palavras Luci, o difícil é colocar em prática né?
    E como....
    Bjooks
    Flaviane
    @dedodimoca

    ResponderExcluir
  10. Oi Luci, a convivência é muito complicado,pois cada pessoa é uma pessoa e nem todas estão disposta a respeitar o outro.
    Muitas vezes eu me calo quando me sinto magoada, outras vezes eu explodo, mas o pior é quando é alguém da gente, alguém que você não esperava que lhe magoa. Ai eu fico muito triste, muito mesmo.
    Belo desabafo, bju

    ResponderExcluir
  11. Oi Luci, tudo bem?
    Cheguei a uma conclusão depois que me casei e mudei para São Paulo: quem não me entende, não me quer bem, não me merece. Cada dia estou mais seletiva. Antes, queria construir um mundo certinho, onde as amizades dessem certo e todos seriam felizes para sempre: não é assim. Percebi que há mais interesses na jogada que eu poderia imaginar. Interesses mil: se enaltecer, crescer as suas custas, conseguir coisas as suas custas, seja que coisa for: amigos, reconhecimento, seguidores...
    Infelizmente as coisas funcionam assim, o ser humano é meio besta mesmo rs :)
    Vc está certíssima em se cuidar, em tomar essa atitude. Boba é que não podemos ser. Boa? Sempre, mas isso vc já é, de berço.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  12. Excelente texto Luci. Temos de filtrar cuidadosamente os que podem vir a fazer parte de nossas vidas!

    ResponderExcluir
  13. Oi Luci,boa tarde !!
    Exatamente essas pessoas que não quero...chega...hj foi a gota dágua...e com quase todas essas suas palavras falei p/ meu marido q determinada pessoa passou dos limites...ele me falou q sempre falo isso e volto atrás...mas fiquei mto mal...
    Parece até mentira,mas passei uma situação igualzinho a q vc descreveu...fico me perguntando..."e eu q sou a bipolar...eu a errada...ou "metidinha" a certinha...sei lá sabe,determinados valores acredito q já vem vincados na personalidade desde o nascimento...independente do grau de parentesco,infelizmente! Não estou falando de meus filhos, do marido e mto menos da minha mãe !
    beijo e desculpa o desabafo e tamanho do comentário,tá?.
    Vania.

    ResponderExcluir
  14. Luci querida,

    Nós, gente, somos muito complicados. Se gosto mas me faz mal, me afasto ou crio defesas próprias para não me abalar com qualquer mal que me faça. Pode fazer, não me atinge, porque não dou importância. Mas cada um age de acordo com o que for mais confortável para o próprio bem estar.
    Girassóis no seu dia. Beijos.

    ResponderExcluir
  15. Estou contigo em cada letra. Tem meu apoio.

    Bjs

    ResponderExcluir
  16. Parar e analisar a vida faz bem, pois nos faz pensar e analisar o que esta a nossa volta. Ajudar as pessoas é muito bom, fazer o bem tbm, mas deixar que as pessoas nos façam de bobas só nos prejudica e deixa para baixo, pois algumas pessoas tem o dom só de sugar e nos deixar demasiadamente cansados.
    Bjos querida

    ResponderExcluir
  17. Onde eu assino a adesão? Bjo Luci!

    ResponderExcluir