11 de nov de 2011

Cinema nacional, você assiste?

Muita gente ainda tem preconceito com o cinema nacional, uma pena, pois há filmes ótimos. Selecionar é bom, eu mesmo faço isso, não assisto filmes como as Tropas de Elite, Cidade de Deus e muito menos aquele do ônibus 174, enfim, não gosto de filmes que têm a violência do meu dia a dia, da minha realidade. Por que assistir  vejo nos telejornais. Também não assisto filmes que contam a vida de certas pessoas que nada vão me acrescentar.Não, não me interessa sabe a vida de Bruna Surfistinha. Lembro de pessoas levando seus filhos para assistir filme sobre ídolo deles: Cazuza. Belo exemplo para adolescentes :( Tanta gente no nosso país que merecia virar filme pela riqueza de suas vidas, pelos exemplos, mas não dá bilheteria....

Alguns dos filmes Nacionais que assisti e que recomendo


"Sexo, paixão e traição... Baseado no romance "O Primo Basílio", escrito pelo português Eça de Queiroz. Ambientado em São Paulo, em 1958, o filme conta a história de Luísa, uma jovem romântica. Casa com o engenheiro Jorge, ela se envolve com seu primo Basílio, um elegante bom-vivant. Vivendo entre a paixão e o amor, ela se vê chantageada pela empregada, que descobre seu caso com o primo."

Destaque para  Glória Pires, que faz o papel da malvadíssima empregada chantagista


.............................................



"Janeiro de 1995. Um jovem músico de 13 anos, integrante da Orquestra Sinfônica do Agreste da pequena cidade de São Caetano, a 150 km de Recife, é seqüestrado. Os policiais acreditam que o responsável é o criador da orquestra, o maestro Mozart Vieira (Murilo Rosa). Com a acusação o trabalho realizado até então com a comunidade carente da cidade corre o risco de desaparecer.."

.................................


"O Contador de Histórias, relata a trajetória de Roberto Carlos Ramos, um menino cheio de imaginação que, nos anos 70, é deixado pela mãe em uma entidade assistencial recém criada pelo governo. Aos treze anos, após incontáveis fugas, ele é classificado como 'irrecuperável' nas palavras da diretora da entidade. Contudo, para a pedagoga francesa Margherit Duvas (Maria de Medeiros), que vem ao Brasil para o desenvolvimento de uma pesquisa, Roberto representa um desafio. Determinada a fazer do menino o objeto de seu estudo, ela tenta se aproximar dele. O que surge entre os dois é uma relação de amizade e ternura, que porá em xeque a descrença de Roberto em seu futuro e desafiará Margherit a manter suas convicções."

....................................


"18 de abril de 1945. Durante anos centenas de pessoas foram torturadas pelo regime de Getúlio Vargas mas, com a pressão externa decorrente do fim da 2ª Guerra Mundial, vários presos políticos ganharam a liberdade. Segismundo (Tony Ramos) é um ex-oficial da polícia política de Vargas que agora teme que suas vítimas resolvam se vingar. Ele trabalha como chefe da seção de imigração na Alfândega do Rio de Janeiro, tendo por função evitar a entrada de nazistas. Em uma averiguação habitual ele interroga Clausewitz (Dan Stulbach), um ex-ator polonês que, por recitar Carlos Drummond de Andrade, lhe foi enviado por um subalterno. Para convencer que não é nazista, Clausewitz precisa usar todo o seu talento como ator."


Um dos filmes mais emocionantes que assisti, não tanto pela história, mas pelas atuações desse dois grande atores. Dan nos presenteia com um dos mais lindos momentos em termos de atuação. Impossível não se emocionar.


 E você, costuma assistir filmes nacionais?
Me recomenda algum?

Ótimo final de semana e com feriadão!!!

sinopses retiradas daqui


6 comentários:

  1. Luci querida,

    Dos que enumerou só vi Primo Basílio e gostei. Vi filmes nacionais de antigamente: Vidas Secas, em preto e branco, acho que vi umas 10 vezes. Cinema, cinema mesmo. Adorei! Excelente fim de semana.
    Girassóis nos seus dias. beijos.

    ResponderExcluir
  2. Eu assisti o Contador de Histórias e Tempo de Paz, gostei bastante, não tenho esse preconceito da maioria. Assim como vc seleciono muito bem o que assistir, e violência também não gosto.

    Beijocas ♥

    ResponderExcluir
  3. Acho q o Brasil já fez, sim, mtos filmes ruins, baseados em baixarias... mas de uns tempos pra cá o cinema brasileiro melhorou MUITO!!!
    Vi Cazuza, pq gosto das canções dele, mas q decepção eu tive com a história... afe. Antes tivessem deixado ele só como músico msm, ídolo pelas canções... pq a história dele é vergonhosa e um péssimo exemplo msm!
    Um que assisti e me marcou MTO foi Olga... pra sempre vou lembrar!
    Gostei de TODOS os q vc citou e vou ver se encontro. Precisamos msm dar um pouco mais de valor à nossa cultura, pra ver se ela continua crescendo e melhorando tbm!
    Beijão!

    ResponderExcluir
  4. Luci, não temos muitos atores bons para o cinema. Sinto vergonha de ver as atuações, por exemplo de Rodrigo Santoro em filmes estrangeiros - ele é bastante primário perto dos atores estrangeiros, mas é porque existe uma escola de formação de atores de cinema bem forte lá fora, tanto é que muitos saem daqui para estudar atuação na França ou EUA.
    Dan Stulbach é um ator nato, marabilhoso!! Os últimos filmes brasileiros foram: Meu nome não é Johnny, Os Famosos e os Duendes da Morte, Histórias de Amor Duram Apenas 90 Minutos, Cidadão Boilesen, VIPs – Histórias Reais de um Mentiroso, entre outros. Assisto uma média de 5 filmes brasileiros por mês, muito pouco. Ah, ia esquecendo de Elvis & Madona que assisti somente depois que li o livro que o Biajoni escreveu. Ele deu um tom de novelização no roteiro - o que chama de "intervenções Biajônicas", vingando todos os autores que reclamam que os diretores mudam os livros.
    Bom feriado!! Beijus,

    ResponderExcluir
  5. Eu assisti o primeiro filme e até que assisto o cinema nacional, mas Cazuza não é lá filme para ninguém, mas falando em filmes não tenho visto com muita frequencia só depois quando entrar de férias...

    Beijos e até...

    ResponderExcluir