29 de dez de 2012

Tempo de faxina. Já fez a sua?





Faxina

"Percebi que eu estava precisando fazer uma faxina em mim... 
Perder os medos e ter coragem de mudar.
Jogar alguns pensamentos indesejados fora, 
polir alguns tesouros que andavam meio que enferrujados...
Comecei tirando de dentro do sótão lembranças que não uso e não quero mais!
Joguei fora alguns sonhos que não se concretizaram, um mundo de ilusões, minhas fantasias! Fiz questão de abrir novos espaços,  para caber novos sonhos e delírios
Joguei fora a minha raiva e o rancor das flores murchas que estavam guardadas dentro de um livro que nunca li
Olhei para os meus sorrisos futuros e minhas alegrias pretendidas.
e os arrumei com carinho, num cantinho aconchegante da sala!
Paixões escondidas, desejos reprimidos, palavras horríveis que  nunca queria ter proferido, mágoas de um amigo, lembranças de um dia triste...

Fui me encantando e me distraindo, olhando para cada uma daquelas lembranças
Nem tudo era descartável, haviam outras coisas... e belas!!! Como as flores e os passarinhos em minha janela!
Sentei no chão, para poder fazer minhas escolhas.
Joguei direto no saco de lixo os restos de um amor que me magoou
Peguei as palavras de raiva e de dor que estavam na prateleira de cima, pois quase não as uso, e também joguei fora no mesmo instante!
Outras coisas que ainda me magoam, coloquei num canto para depois ver o que farei com elas, se as esqueço lá mesmo ou se as envio para o lixão.
Aí, fui naquele cantinho, naquela gaveta que a gente guarda tudo o que é mais importante: o amor, a alegria, os sorrisos, um dedinho de fé para os momentos que mais precisamos... 
Como foi bom relembrar tudo aquilo!!!
Recolhi com carinho o amor encontrado, dobrei direitinho os desejos, coloquei perfume na esperança, passei um paninho na prateleira das minhas metas, deixei-as à mostra, para não perde-las
Nas prateleiras de baixo, deixei ficar algumas lembranças da infância, na gaveta de cima , as da minha juventude e, pendurado bem à minha frente, coloquei a minha capacidade infinita de amar, e principalmente a garra e o desejo para sempre... ter a coragem e o interesse para recomeçar." 
(autor desconhecido)

23 de dez de 2012

Natal!



Natal é uma data espiritual, uma data família. É uma época em que devemos fazer aquela limpeza do coração e da alma para que sejam a manjedoura para receber o aniversariante. É importante lembrarmos do motivo pelo qual ele nasceu. 
Noventa e oito porcento dos meus Natais foram passados só com a família e sempre foram bons. Foram bons mesmo não ganhando o presente que gostaria, não tendo a mesa lotada de comida, mesmo sentindo saudades. Mas estávamos juntos e só tenho lembranças boas.
Hoje sinto saudades dos pais que não estão mais aqui, mas é uma saudade boa, saudade de amor que recebi e que tenho. Isso não quer dizer que não estou feliz, pois as lembranças são muito boas.
Vejo as pessoas falando tanto de tristeza, depressão nessa época e sempre penso no porquê disso. Eu acho que ficam tão envolvidas com o que na verdade não é Natal, que não têm o tempo natalino de preparação, de vivência. É só correria para enfeitar casa, fazer compras desmedidas, e aí quando finalmente chega a noite de natal, estão cansadas dessa correria material. Quando param, junta todos os sentimentos que deveriam ter sido sentidos aos poucos e lá vem tristeza, depressão, um vazio no coração e nem aproveitam esse momento especial com sua família e a Sagrada Família.
Estava no Facebook conversando com as primas que estão longe, postando fotos e nos lembrando dos nossos que já se foram. Há muita saudade, choramos, mas há a alegria de os termos tido em nossas vidas. Isso é parte do nosso Natal.



5 de dez de 2012

época de preparação

Geralmente nessa época do ano estamos olhando para trás e avaliando nosso ano, o que fizemos e o que deixamos de fazer dos planos de último dezembro. Junto a isso, já fazendo a listinha de tudo que queremos fazer no ano que está chegando. Porém esse ano eu decidi fazer diferente, eu quero me preparar para o novo ano, para ele chegar e me encontrar com a alma, o coração e a mente prontinhas para ele acontecer.
Para conseguir isso meu primeiro passo foi listar as coisas que tenho pendentes dentro de mim. Sabe coisas que lhe aconteceram e que por mais que queira não consegue eliminar? Que vira mexe aparece nos seus pensamentos? Tenho comigo algumas dessas coisas e desde o dia primeiro comecei a resolvê-las. Nenhuma é fácil, mas preciso exterminá-las de mim, pois não quero mais me pegar pensando nelas. 
Nos primeiros 5 dias do mes já resolvi duas, ainda faltam algumas e nenhuma delas será fácil, mas com certeza 2013 vai me encontrar uma pessoa melhor após essa faxina emocional. Sei que muita gente pode não entender isso, possivelmente só as mais velhas, mas chegamos num ponto da vida onde o passado é maior que o futuro que acho ser necessário ir cuidando de certas coisas. 
Esse foi um ano que amadureci muito em relação a algumas coisas, e como todo amadurecimento, não veio sem uma dose de sofrimento. Isso me deixa feliz, pois sei que termino o ano uma pessoa melhor que comecei.


6 de out de 2012

Decálogo de Bertrand Russell (Código de Conduta)

Bertrand Russell propôs, na sua autobiografia, um "código de conduta" liberal baseado em dez princípios, à maneira do decálogo cristão.


1- Não tenhas certeza absoluta de nada.
2- Não consideres que valha a pena proceder escondendo evidências, pois as evidências inevitavelmente virão à luz.
3- Nunca tentes desencorajar o pensamento, pois com certeza tu terás sucesso.
4- Quando encontrares oposição, mesmo que seja de teu cônjuge ou de tuas crianças, esforça-te para superá-la pelo argumento, e não pela autoridade, pois uma vitória dependente da autoridade é irreal e ilusória.
5- Não tenhas respeito pela autoridade dos outros, pois há sempre autoridades contrárias a serem achadas.
6- Não uses o poder para suprimir opiniões que consideres perniciosas, pois as opiniões irão suprimir-te.
7- Não tenhas medo de possuir opiniões excêntricas, pois todas as opiniões hoje aceitas foram um dia consideradas excêntricas.
8- Encontres mais prazer em desacordo inteligente do que em concordância passiva, pois, se valorizas a inteligência como deverias, o primeiro será um acordo mais profundo que a segunda.
9- Sê escrupulosamente verdadeiro, mesmo que a verdade seja inconveniente, pois será mais inconveniente se tentares escondê-la.
10- Não tenhas inveja daqueles que vivem num paraíso dos tolos, pois apenas um tolo o consideraria um paraíso.


13 de set de 2012

como me tornei artesã? parte II

esse  post foi publicado inicialmente em 05/04/10

Deus, o Universo, ou o que quer que você acredite, conspiram e trabalham direitinho ;) Há muitos anos eu trabalhei 5 anos sem carteira assinada e andava maldizendo isso porque teria que trabalhar 5 anos a mais até me aposentar. E não é que tudo isso estava acontecendo justamente faltando 5 anos para eu me aposentar? Eu explico.
Foi boa a conversa com o patrão. Estávamos em agosto e eu ainda trabalharia até dezembro. Financeiramente eu receberia tudo que tinha direito mais uma gratificação pelos 16 anos que trabalhei com ele. Para completar, ele me deu também o valor correspondente aos 5 anos que eu ainda tinha que pagar, pelo máximo, de INSS até me aposentar. É, é isso mesmo. Sendo assim, eu estava recebendo o presente e as condições que me permitiriam não ter que trabalhar fora esses 5 anos que faltavam para a aposentadoria (agora faltam 2 anos e meio, se a política não mudar).
Início de setembro eu já tinha passado todo o meu tabalho para uma pessoa de São Paulo e não tinha quase nada para fazer. Também não tinha mais porquê aguentar os pitis do chefe (não do patrão) e pedi para sair antes da data combinada. Patrão me liberou, me pagou salário como se eu tivesse trabalhado até dezembro e me deu um super presente. Ele sempre gostou de dar viagens de presente para as pessoas que trabalhavam com ele. Uns 10 anos antes eu ganhei minha primeira viagem a Europa. Ele sabia que eu tinha um sonho de conhecer Paris e fez uma aposta comigo em cima do preço de ações de uma empresa que era negociada na Bolsa e eu ganhei. Fui a Paris, Londres e 5 cidades da Itália. Um sonho!!!!! E agora na minha saída da empresa, ele me deu uma nova viagem dizendo que era para eu descansar de tudo que tinha passado (ele se referia aos meus pais que um dia eu conto para você) e me deu uma viagem a Lisboa, Madri, Santiago de Compostela, Barcelona e Paris (tinha que voltar a Paris). Não preciso dizer nada, né? Foi bomdemaisdaconta. Viajar, conhecer outros lugares, nem que seja a cidade vizinha, não tem preço.
Saí da Empresa, fiz minha viagem e voltei. E agora? O que fazer? De uma coisa eu tinha certeza: não queria mais trabalhar no Mercado de Capitais. Chega! Alguns amigos até me mostraram algumas propostas, mas nenhuma que valia a pena.
Eu sempre tive planos de trabalhar com artesanato quando me aposentasse, algo que eu gostava. Daí pensei... Deus está me dando a oportunidade de fazer o que eu quero justamente 5 anos antes de me aposentar, já que eu maldizia esses 5 anos. Ninguém mais dependia de mim financeiramente. Tinha meu apartamento próprio e meu dim dim guardado. Peguei esse valor, dividi pelo número de meses dos 5 anos até aposentar para ter idéia do que eu podia gastar por mes. Mudei meu estilo de vida e resolvi me tornar artesã.
Sei que há pessoas que têm problemas quando precisam abrir mão de coisas materiais, eu não tenho nenhum, aliás é algo que venho fazendo aos poucos, me desligar cada vez mais do material. Abri mão de algumas coisas que não faço hoje para não ter maiores despesas. Eu costumo brincar com o seguinte exemplo: eu adoro um vinho.. huummmm mas hoje eu não pago R$100,00, R$80,00 ou R$50,00 num vinho... bebo um de R$20,00, R$10,00 feliz da vida!!!!! Não tenho viajado, algo que adoro, mas sou feliz e faço planos de viagens para quando a aposentadoria sair. Aqui estou eu trabalhando em algo que não paga minhas contas mensais, mas nunca fui tão feliz. Sei que sou uma privilegiada e dou graças a Deus por isso. Tenho tranquilidade, faço o que quero, quando quero e na hora que quero. Passo o dia aqui entre pincéis e tintas que nem vejo o tempo passar. Faço cada peça com carinho e amor como se fosse para mim mesmo. Me enche de alegria ver a carinha e as palavras das clientes quando vêem suas encomendas. Tenho uma família maravilhosa que amo e sei que me ama, que me apoiou demais quando tomei essa decisão, assim como os amigos queridos.
Tomada a decisão comecei a pesquisar no orkut sobre trabalhos que eu nunca havia feito e me deparei com a decoupagem, foi amor a primeira vista. Até então eu fazia bordados, pintura em tecido e uma coisa ou outra que ía aprendendo. Procurei ler bastante, comprei o material e assim nasceu minha primeira caixinha que é um horror hahaha Quem sabe como se faz nunca deve ter visto uma guardanapo tão mal colado. Eu ainda não sabia direito como fazer e fui no instinto. Também fiz alguns cursos e as amizades com outras arteiras também me ensinou muito.
O próximo passo foi abrir o blog Artes da Luci onde posto meus trabalhos e de onde vem 90% das encomendas que recebo. Para vocês terem idéia, não tenho mais como pegar lembrancinhas até fevereiro do ano que vem, graças a Deus. Quase todos os dias recebo pedidos de orçamento. Ganhei clientes e acima disso, ganhei amigas. Já mandei trabalhos meus de Manaus a Porto Alegre. Claro que adoro receber elogios sobre meu trabalho e fico feliz de ver meu progresso. Tenho muitos projetos de novos trabalhos, mas o meu pior inimigo é o tempo. Já tentei encontrar gente para trabalhar comigo, mas ainda não consegui nada, pois se conseguisse alguém que ao menos desse base e lixasse as peças para mim, já seria maravilhoso. O grande problema é que trabalhasse muito e ganhasse pouco, pois como já disse acima, artesanato não paga minhas contas. Muita gente me pergunta sobre eu abrir uma loja, mas eu não tenho esse sonho, pelo menos não agora. Penso que ter uma loja, além de grande investimento, que não tenho, me faria ir para outro lado. Teria que me preocupar com contabilidade, funcionários, estoque, tantas coisas que onde estaria o tempo para fazer os trabalhos? Claro que isso ficaria em segundo plano e não é o que quero. Hoje estar aqui no meu cantinho tem me bastado. Quero cresce aqui, em aprenizado, em prazer.
Eu recebia muitos emails e comentários no blog de trabalho me perguntando sobre como eu fazia alguma coisa, qual material usava... e foi assim que nasceu meu terceiro blog: Artes da Luci - Postando sobre Artes. É nele que passo para outras pessoas o pouco que sei, dou dicas, posto passo-a-passo ensinando como faço alguma coisa, compartilho material e faço amizade com outras arteiras que fazem lindos trabalhos e com quem também aprendo muito. Lá tem a lista de blogs de artes que acompanho e se você quiser conhecer, vai clicando lá.

E foi assim que uma professinha virou operadora do mercado de capitais que virou artesã.

toalha de tecido de fralda pintada a mão


camiseta que pintei para meu irmão
nossa, pintei muitas camisetas ao longo da minha vida


jogo de toalha de banho bordado com ponto de cruz
adoro fazer isso, sempre tenho um bordado ao meu lado na cama :)

ovos de galinha pintados a mão e recheados com confeti de chocolate



minha primeira caixinha :P

primeira feirinha que participei


com amigas aqui em casa aprendendo juntas


aprendendo a técnica de pastilhas

fazendo curso


eu e a amiga Tatiana nos reunimos para aprender e fazer nossa primeira caixa com tecido


Adicionar imagem Sobrinha encomendou caixa com fotos para presentear a Talita Rebouças de quem ela é super fã


eeeee... tchan tchan tchan
essas fotos foram tiradas há algum tempo e são do meu quarteliê \o/\o/


Essa mesa eu comprei na época para colocar meu pc, mas acabou servindo muito bem para eu trabalhar, vejam que coloco coisas na parte onde seia o techado, o que me auxilia bastante, sem contar o fato dela ter rodinhas e eu poder empurrar prá cá e prá lá.


Não saiu nas fotos, mas também tem um guarda-roupas de 8 portas onde guardo material também. Hoje a arrumação está um pouquinho diferente no que diz respeito a arrumação de material. Tenho muita vontade de dar uma arrumada e enfeitada nele, mas falta o danado do tempo.

E então? Gostaram?


12 de set de 2012

como me tornei artesã - parte I

Esse post foi publicado inicialmente em 15/02/10

Eu recebo os comentários aqui no blog, porém algumas pessoas comentam também através do email que recebem sobre a atualização do blog (feed). Sinto qu e lá se sentem mais a vontade. Recebo elogios, também recebo críticas, mas numa boa, sem agressividade, apenas a opinião delas e muitas vezes se transforma num bom papo, e também questionamentos, por curiosidade. Então andei pensando que talvez devesse escrever sobre algumas coisas que também podem passar pela cabeça de quem lê aqui e não escreve, ou escreve mas também tem curiosidade e não pergunta, ou discorda, mas prefere não dizer temendo ser mal entendida. E sendo assim vou escrever hoje como me tornei artesã.
Com 12 anos comecei a me aventurar nos trabalhos manuais (era assim que chamávamos) e após passar férias na casa de uma prima que pintava fraldas para uma loja aqui do Rio, me entusiasmei e quis fazer também. A partir daí comecei a pintura em tecidos. Pintei muita camiseta, a turma adorava, pois podiam trazer o desenho que fosse que eu ampliava e pintava. Logo depois comecei a bordar. Tudo o mais foi vindo com o tempo. Sempre tive a facilidade em ver um tipo de trabalho e fazê-lo. Minha habilidade está no dna pois na minha família, tanto do lado paterno como materno, há muita gente habilidosa com as mãos. Então é algo que nasceu comigo, assim como a facilidade em cozinhar, coisa de família. Desde então sempre fiz meus trabalhos para ganhar um dinheirinho extra, mesmo estando empregada em algum lugar.

Tudo que eu queria era ser professora e fazer belas Artes. Fiz Escola Normal e me formei professora. Meu primeiro emprego foi numa escola e peguei uma turma de Maternal.


 minha primeira turma

a professorinha

Fui fazer faculdade de Literatura, pois Belas Artes nem pensar. Curso de horário integral e muito material e caro. Para quem precisava trabalhar para ajudar em casa realmente não dava. Tres anos depois fui trabalhar com mcursos livres. Mas como quase sempre aconteceu na minha vida fui levada para outros caminhos bem diferentes dos meus planos. Sendo assim, em dezembro de 1983 comecei a trabalhar no Mercado de Capitais sem ao menos saber o que era Bolsa de Valores. Fui contratada para atender os clientes que queriam investir em alguma coisa no Banco, mas como não conhecia nada, primeiro fui fazer estágios nos diversos departamentos para aprender. Acabei nunca assumindo essa função pois num dos departamentos acabei me destacando e ficando por lá mesmo.
Foi um longo caminho e cheio de desafios e dificuldades. Tres anos depois de começar fui morar em São Paulo e trabalhar na mesa de operações da Corretora de Valores,  a mesma que eu trabalhava no Rio chefiando o departamento de Investimentos. Nessa época se contava nos dedos de uma mão quantas mulheres trabalhavam como operadoras de Bolsa.
Contar essa história precisaria de muitos e muitos posts e não é essa a razão desse post, escrever sobre minha vida de operadora. Então vamos voltar a vaca fria :)
Trabalhei em São Paulo por 4 anos, em duas Corretoras diferentes. Nessa época já havia feito todos os cursos disponíveis para aprender o que podia, já sendo inclusive operadora habilitada para operar nos pregões da BOVESPA (Bolsa de Valores de São Paulo) e BM&F (Bolsa de Mercadorias e Futuros). Porém depois de 4 anos, num final de tarde, me deu aqueles 5 minutos que tive muitas vezes na minha vida, com diversos motivos, liguei para meu patrão que na época era Presidente da Bolsa de Valores do Rio de Janeiro e pedi demissão. "Vou voltar para o Rio".
Voltei a morar com meus pais e fiquei desempregada por exato 1 ano. Desempregada mas não parada, pois minha mãe era costureira e eu logo comprei uma outra máquina e passei a trabalhar com ela. Continuei procurando emprego no Mercado e numa noite, festa na casa de um amigo, soube que uma pessoa bem conhecida nesse meio ía abrir uma Corretora. Coloquei o currículo debaixo do braço e fui procurá-la com a cara e a coragem. Fui contratada! A Corretora fechou alguns anos depois, mas continuei trabalhando para ele, foram 16 anos. Éramos uma equipe de 4 pessoas que cuidava de tudo na vida dele, sim, ele é uma empresa rsrs
Há 3 anos e meio perdi meus pais num intervalo de 2 meses e nem preciso dizer como minha vida mudou, não é? Um ano depois fui demitida. O patrão já morava em São Paulo havia muitos anos e tinha muita vontade de levar o escritório para lá. Vários motivos fizeram com que ele fosse adiando essa decisão, mas chegou um momento em que tudo ficou propício e ele tomou essa decisão. Por que eu fui demitida? Não sei essa resposta! Aí você me pergunta: mas como não sabe? É verdade, não sei, mas suspeito do único motivo. Vou tentar explicar.
Eu cuidava não só de coisas no lado profissional dele, mas também de coisas da vida pessoal. Você ter uma relação direta com seu patrão por 16 anos, convenhamos que se cria uma história e uma forte relação. Por causa dessa relação, todo mundo dizia e acreditava que eu trabalharia com ele até o final da vida, que ele nunca me mandaria embora. A gente sabe que as coisas não são bem assim. Abaixo dele eu tinha um chefe e nossa relação nunca foi das melhores, haviam sérios problemas. Sim, eu melhor do que ninguém sei o que é assédio moral. Posso estar errada, mas creio que fui demitida por influência dele e talvez de uma outra pessoa, que aproveitaram essa mudança para São Paulo para se "livrarem" de mim. Não faço idéia do que foi dito.
O patrão fez questão dele mesmo me dar a notícia e conversar comigo e eu, gostando tanto dele, não tive a coragem de colocá-lo numa saia justa e perguntar o por quê.



esse menino que estou segurando a cabeça, hoje é diretor dessa mesma corretora








Muitas vezes atuei no pregão da Bolsa. Essa foto é no pregão da Bolsa de Valores do Rio do Rio de Janeiro, onde representei minha corretota em diversos leilões de privatização e descia sempre que necessário



Me desfiz de muitas fotos e guardei muitas com carinho. Porém a grande maioria não posso publicar aqui por conta de expor pessoas.

continua...

30 de jul de 2012

Ser Feliz!

post publicado originalmente em 15/04/2010


Interessante que nos últimos dias li diversos textos sobre felicidade e daí fiquei aqui pensando sobre isso com meus pincéis e tintas .
Quando me perguntam se sou feliz, a resposta é sim!! Porém ser feliz não quer dizer que eu nunca fico triste, que não choro, que até me descabele uma vez ou outra. Não quer dizer que eu nunca fique brava, aborrecida e até tenha vontade de esganar alguém. Não quer dizer que eu não me questione, tenha dúvidas, e até tenha aqueles cinco minutos onde quero mudar um monte de coisas. Confesso que olho com desconfiança para aquelas pessoas que estão sempre felizes, mas aquele feliz meio programado, linha reta.
Atualmente o que não falta é uma boa receita de felicidade, já notaram isso? Observo que para muitas mulheres os dois principais motivos para se sentir feliz são: ser magra e ter um homem ou um amor (?!). Bem..... sou gorda e sozinha. Devo ser infeliz? Me jogar pela janela? Também não tive filhos apesar de dois casamentos. Ops, mas cada casamento durou 1 ano (são outras histórias)... e foi o grande sonho da minha vida: casar e ter filhos enquanto minhas amigas queriam estudar, trabalhar fora, morar sozinhas, ser independentes. Adivinha o que aconteceu??? O danado do destino sempre aprontando, e todas elas casaram, tiveram filhos e já são vovós e euzinha? Necas de pitibiriba (nossa que coisa mais antiga.....) Mas sou infeliz? Não! Deveria? Penso que não. Está certo que não é a mesma coisa, mas a vida me deu muitos filhos que me deram muitas alegrias e amor.
Tantas coisas que eu quis, que planejei e não consegui, mas também tanta coisa que nunca achei que me aconteceria e eu vivenciei e fui feliz por causa delas. A vida é feita de coisas boas e ruins, de alegrias e tristezas, a gente leva uns tombos, porém tudo depende de como encaramos isso, qual a lição tiramos, se é que tiramos, pois tem gente que passa por algumas coisas e não aprendem nadica de nada. Depende da nossa fé, do nosso olhar. Claro que ninguém passa por certas situações como se nada de ruim estivesse acontecendo: somos humanos. O que não pode é ficar indefinidamente com a cara no fundo do poço, na cama abraçada no travesseiro chorando as pitangas como se o mundo tivesse acabado. Sim, muitas vezes precisamos disso, chorar, chorar, se descabelar, se sentir a última das criaturas e coisa e tal. Exorcisar. Passado o momento, levantar, sacudir a poeira e seguir em frente porque a vida está preparando uma porção de coisas novas para sua vida.
Muitas vezes li e ouvi que nós somos responsáveis por nossa felicidade, que ela não deve depender de ninguém mais. Concordo em parte, pois ver a infelicidade de alguém que amo interfere na minha felicidade, não consigo e acho que nem quero mudar isso. Tive um grande tempo na minha vida onde não pensava muito na minha felicidade, vivia muito mais para ver feliz os que eu amava. Um dia me dei conta que se eu cuidasse mais de mim, se me amasse mais, se me fizesse mais feliz, poderia fazer muito mais pela felicidade dos outros. Depois tive uma fase onde fui sim muito infeliz, um tempo muito difícil quando a última coisa que queria era ter tempo para pensar. Uma nuvem negra estacionada na minha cabeça. Mas um dia ela se foi e busquei por ser feliz novamente.
Na minha casa tive exemplos bem claros. Minha mãe, por mais difícil que as coisas estivessem sempre buscava o lado bom da vida, não me lembro de vê-la reclamando, resmungando. Já meu pai a-do-ra-va ser infeliz. Por mais motivos que tivesse para estar feliz, ele procurava o outro lado. Muito triste isso e difícil de conviver, porque se você bobear, esse tipo de pessoa lhe arrasta para a infelicidade dela.
Temos diversos caminhos abertos a nossa frente e precisamos estar atentos com nossas escolhas, olhar os exemplos que temos para nos ajudar a escolher o melhor. Porém o melhor de tudo, é que se não escolhemos o melhor, lá na frente os caminhos se abrem novamente e podemos mudar. A vida é isso, experiências, aprendizagens, escolhas. Precisamos amar a vida que aí ela retribui.

25 de jul de 2012

Há amor em mim

Como hoje é Dia do Escritor, e um dia eu sonhei em ser uma, estou republicando algo que escrevi, que gostei muito. Esse post foi publicado originalmente em 29/09/2011

..............................................................

Há muito amor em mim e por ser alguém que sempre foi muito amada aprendi desde pequena a dar esse amor, amor que tem suas mil facetas e pode amar das mais diversas formas. 
Mas há um amor em mim que ficou  guardado, um amor que não pode se manifestar, crescer , viver, se multiplicar... É aquele amor que é gerado por nove meses e que vai preparando o mundo.  O amor que durante nove meses vive de uma cumplicidade ímpar. Esse amor que há em mim, não sentiu as dores para receber o ser amado, não pode pegar em seus braços e chorar de tanto amor, não passou noites em claro, não ninou, não cuidou dos machucados, não disse que no fim tudo vai dar certo. Esse amor não brigou sentindo o coração na mão, não contou histórias, não se derreteu com seus sorrisos, não chorou suas lágrimas, não se derreteu velando seu sono. Esse amor não ensinou as primeiras letras, não teve vontade de esganar no meio de tanta bagunça, não botou de castigo diante de uma malcriação e sofreu mais que ele. Esse amor não virou criança brincando sentado no chão, não teve vontade de realizar todas suas vontades. nem acreditou que o tempo passava tão rápido e o ía perdendo para o mundo. Esse amor não virou noite preparando festinhas, não fez brigadeiro e comeu junto, direto da panela se labuzando todo, não assistiu os mesmo desenhos tantas vezes que já sabia de cor. Esse amor não viu o ser amado andar com suas próprias pernas e que não queria você se metesse, naõ teve aqueles momentos de segredos, não conversou de amor, de sexo, dos perigos do mundo. Esse amor não perdeu sono esperando que chegasse em casa e agradecia a Deus por estar ali pertinho de você, naõ virou bicho quando alguém feriu seu amor, não sofreu seus sofrimentos, naõ vibrou  com suas vitórias, não morreu de saudades com sua ausência, com seu quarto vazio porque ele foi viver sua vida. Esse amor que hoje poderia ter tido seu amor e gerado um amor que seria meu amor ainda maior, se é que achasse que isso seria possível. 
Esse amor está bem guardadinho no lugar mais especial do meu coração e vai ficar ali até o final. Esse é o amor que há em mim e que nunca pôde existir.

...............................................

Essa é minha participação na Blogagem Coletiva que a Elaine Gaspareto convidou, para comemorar os 3 anos do blog Um Pouco de Mim . AQUI você pode ler todas as participações.



Eu não pretendia participar por alguns motivos, mas essa noite ouvi a única música que mexe comigo em relação a esse sentimento que poucas vezes permito vir a tona e enquanto a ouvia e chorava, pensei: esse é o amor que há em mim, porque é o único que está lá dentro em mim, só em mim. A música? 

Pais E Filhos

Legião Urbana

Estátuas e cofres e paredes pintadas
Ninguém sabe o que aconteceu.
Ela se jogou da janela do quinto andar
Nada é fácil de entender.
Dorme agora,
é só o vento lá fora.
Quero colo! Vou fugir de casa!
Posso dormir aqui com vocês?
Estou com medo, tive um pesadelo
Só vou voltar depois das três.
Meu filho vai ter nome de santo
Quero o nome mais bonito.
É preciso amar as pessoas
Como se não houvesse amanhã
Porque se você parar pra pensar
Na verdade não há.
Me diz, por que que o céu é azul?
Explica a grande fúria do mundo
São meus filhos
Que tomam conta de mim.
Eu moro com a minha mãe
Mas meu pai vem me visitar
Eu moro na rua, não tenho ninguém
Eu moro em qualquer lugar.
Já morei em tanta casa
Que nem me lembro mais
Eu moro com os meus pais.
É preciso amar as pessoas
Como se não houvesse amanhã
Porque se você parar pra pensar
Na verdade não há.
Sou uma gota d'água,
sou um grão de areia
Você me diz que seus pais não te entendem,
Mas você não entende seus pais.
Você culpa seus pais por tudo, isso é absurdo
São crianças como você
O que você vai ser
Quando você crescer?


o maior amor que eu vivi e que ainda vive em mim



os maiores amores que vivo e vive em mim


20 de jul de 2012

vc sabe quem são seus amigos?

publicado inicialmente em 20/07/2011

"Amigo é coisa para se guardar no lado esquerdo do peito"

"Amigo" é uma das palavras que foram banalizadas. Hoje todo mundo chama todo mundo de amigo, e prá mim, não é bem assim que a banda toca. As pessoas que trabalham com a gente, são colegas, e o mesmo para aquelas com quem você estuda. Claro, que algumas poderão se tornar suas amigas. Nas redes sociais, todo mundo é amigo. São 1.000 amigos no orkut, mais 1.000 no FB, mais 1.000 no Twitter, mais 1.000 na blogosfera e agora terão mais 1.000 no google+.
Amizade se cultiva. Claro que há pessoas que a gente conhece e se identifica de cara, mas é uma vez ou outra. Amigos, quem tem demais acaba não tendo nenhum. E muitas vezes por conta de tantos novos amigos, a gente pode deixar de lado aqueles que são mesmo seus amigos. Ah porque isso de falar "amigo de verdade" é até engraçado, existe "amigo de mentira"? Ou é ou não é.
O que desejo para você nesse dia dedicado aos amigos, a amizade, é que você pare, olhe ao seu redor e identifique seus amigos. Veja se está dando a devida atenção à suas amizades. 

Dedique esse dia a seus amigos!
Amigo é um dos maiores tesouros que temos.

beijos pros meus amigos!


18 de jul de 2012

Como se mede uma pessoa



Os tamanhos variam conforme o grau de envolvimento.

Ela é enorme quando fala do que leu e viveu, quando trata você com carinho e respeito, quando olha nos olhos e sorri destravado. 
É pequena pra você quando só pensa em si mesmo, quando se comporta de uma maneira pouco gentil, quando fracassa justamente no momento em que teria que demonstrar o que há de mais importante entre duas pessoas: a amizade. 

Uma pessoa é gigante pra você quando se interessa pela sua vida, quando busca alternativas para o seu crescimento, quando sonha junto. 
É pequena quando desvia do assunto.

Uma pessoa é grande quando perdoa, quando compreende, quando se coloca no lugar do outro, quando age não de acordo com o que esperam dela, mas de acordo com o que espera de si mesma.
Uma pessoa é pequena quando se deixa reger por comportamentos clichês. 

Uma mesma pessoa pode aparentar grandeza ou miudeza dentro de um relacionamento, 
pode crescer ou não num espaço de poucas semanas: será ela que mudou ou será que o amor é traiçoeiro nas suas medições? 
Uma decepção pode diminuir o tamanho de um amor que parecia ser grande. 
Uma ausência pode aumentar o tamanho de um amor que parecia ser ínfimo. 

É difícil conviver com esta elasticidade: as pessoas se agigantam e se encolhem aos nossos olhos. 
Nosso julgamento é feito não através de centímetros e metros, mas de ações e reações, de expectativas e frustrações. 
Uma pessoa é única ao estender a mão, e ao recolhe-la inesperadamente, se torna mais uma. 
O egoísmo unifica os insignificantes. 
Não é a altura, nem o peso, nem os músculos que tornam uma pessoa grande. 
É a sua sensibilidade sem tamanho!


Tenho esse texto nos meus arquivos, sem a autoria. Na net você encontra como sendo de autoria de William Shakespeare e Martha Medeiros... Vai saber...


Uma semana abençoada!

16 de jul de 2012

Voltando ao Vida

Bom dia!!!



Depois de quase 4 meses de ter desativado o blog, eis que voltamos, deu saudade. Vou republicar os posts aos poucos. 
Peço desculpas as pessoas que acompanham os blogs pelo reader, por estar com diversos posts do Vida, mas vou republicá-los aos poucos, tentando incomodar o mínimo possível ;)


prá comemorar, um docinho procêis!!





Uma semana abençoada!

8 de jul de 2012

Ser Feliz.. continuação

postado originalmente em 16/04/10


Lendo os comentários deixados no post anterior fiquei pensando num montão de coisas.
Sim, somos humanos, temos diversos sentimentos e muitas vezes é difícil lidar com eles. Tristeza é o oposto de alegria e não de felicidade. Sou feliz porque tenho saúde, uma casa para morar, a roupa que preciso, alimento à mesa, família que amo, amigos queridos, meu trabalho que adoro fazer... Mas isso não impede que algumas coisas me deixem triste, e estar triste não quer dizer que sou infeliz, entende? O fato de não ter coisas que gostaria de ter, de não fazer coisas que gostaria de fazer, não me faz infeliz, mas tenho a esperança de um dia ter ou fazer.
Aprendi com um frei francisacano que temos que agradecer a Deus principalmente os pedidos que Ele não atende. Sim, porque Ele sabe o que é melhor para mim. E muitas vezes, tempinho depois, eu vi que coisas que pedi e desejei foi melhor não ter acontecido.
Hoje em dia há uma coisa que me incomoda muito, a confusão que fazem com os sentimentos e o mais comum é quando você está triste ou querendo ficar quieta no seu canto por necessidade de pensar, de sentir, e logo as pessoas dizem que você está deprimido. Isso me irrita. Tudo é depressão, e não é. Uma vez conversando com uma amiga pelo msn eu disse que tava preguiçosa e a vontade era não sair da cama, passar o dia lá quietinha e ela logo disse: "você não tá deprimida? " ai ai ai Com isso eu evito dizer as pessoas que eu estou triste.
No início do ano eu passei por um período com uma tristeza enorme, como eu nunca tinha sentido. Só percebeu os amigos que vieram aqui. Todos disseram a mesma coisa, que embora eu conversando normalmente estava na minha cara que eu não estava bem. O diferente dessa vez, e talvez por isso foi tão grande, é que eu não falava o motivo, pois era sobre a vida de outra pessoa e eu não podia falar da vida dela para outras pessoas. Foi bem difícil passar isso, pois falar das coisas me ajuda a resolvê-las em mim. Minha maior preocupação foi justamente ter a atenção para que isso não virasse uma depressão. Mas tudo se resolveu quando sentei com a pessoa e pude falar e chorar tudo que estava tmando conta do meu coração.
É difícil, mas não podemos nos entregar aos sentimentos negativos. Precisamos sim sentí-los, muitas vezes nos ajudam a crescer e amadurecer, mas eles não podem tomar conta da gente. Minha mãe dizia que tem hora que precisamos levantar, dar uma sacudida no corpo e dizer "xô tristeza!"

Outra coisa que fiquei a pensar foi sobre a idade nos ajudar a mudar a forma como vemos e encaramos as coisas. Sempre ouvi isso, mas há um tempinho que eu vivencio isso. Conforme fui ficando mais velha meus valores foram mudando, a forma de encarar as coisas, de olhar algo. A idade nos traz sim sabedoria, nos dá uma visão maior da vida. Porém diante do que vejo na vida de hoje, penso que muita gente está envelhecendo e perdendo coisas boas que a idade nos dá. Por que? Porque estão muito preocupadas em voltar o tempo, em viver uma época que já passou para elas, preocupadas mais com o físico do que com a alma, o coração, a mente.
De forma alguma eu sou contra quem se cuida, muito pelo contrário, acho que temos sim que nos cuidar. Eu até ando puxando minha orelha por conta disso. Porém tudo na vida tem que ter limite e muita gente está perdendo essa noção. Sinceramente? Eu não vou perder horas do meu dia fazendo ou deixando de fazer coisas para buscar o corpo que eu tinha aos 20, 30 anos. Sempre soube, todo mundo sabe, que o corpo vai sofrendo mudanças. Confesso que tive meus momentos de certas descobertas que preferia não ter, né? Mas faz parte e hoje encaro isso muito bem, pois fui pensando sobre e me mostrando que não adiantava nada não querer. É preciso encarar o fato e não ser infeliz por conta disso, não tem jeito. Optei por me aceitar e quando nos aceitamos as pessoas também nos aceitam melhor, sabia? Passamos para elas o que sentimos. Então, dou oi para as novas rugas e gordurinhas... ai gordurinhas... Uma das coisas que nos acontece na menopausa é crescer (leia acumular gordura) o tronco (adeus cintura) e eu fui vendo aumentando aumentando hehehe, com o tempo os braços vão ficando mais grossos, não tem jeito... e os seios? ah os seios, vão caindo sim!!! e eu que ODEIO usar sutiã, só coloco para sair porque sou obrigada, vou deixando os meus bem a vontade e caiiindooo ...
Eu faço parte do grupo que acredita que as mulheres se preocupam mais com essas coisas do que os homens. Eles nem ligam ou reparam nas celulites e estrias das mulheres que amam. As mulheres é que reparam mais nas outras mulheres. Se um homem está mais preocupado com seu corpo do que com sua alma e coração, foge dele! Se uma pessoa te julga mais pelo seu exterior que interior, foge dela! Se ame acima de tudo! O resto vem por consequência.
Se Luci com seus 51 anos (uma boa idéia), suas rugas, celulites, gordurinhas e tal ainda é paquerada, imagina... Eu tenho um amigo que diz o seguinte: "Tem homens que dizem gostar de alface com tomate (mulheres magrinhas) mas na hora H gostam mesmo é de pão com mortadela e muita manteiga (as gordinhas). :D
Eu não sou um poço de sabedoria e nem consigo conviver bem com tudo como num passe de mágica. Tudo na vida é aprendizagem e requer exercício. Se eu quero mudar algo, vou exercitando isso. No início é difícil, mas vou pensando nisso, conversando comigo e tentando colocar em prática. De repente você mudou e parece que sempre foi assim. Mas primeiro é preciso querer . Sem vontade não há nenhum tipo de mudança.
Eu não posso viver de acordo com as expectativas dos outros, de acordo com o que pensam de mim. Tenho que viver de acordo com o que acredito, com o que me faz feliz, com meus limites.

Então...Bom dia rugas! Bom dia celulites! Bom dia gordurinhas! Bom dia estrias! Bom dia Luci!!!
Vamos viver mais um dia feliz? Vamos que vamos!

Beijo grande prá você e um super final de semana :) Seja feliz!



26 de mar de 2012

Os Chicos viverão para sempre!

lindo olhar...

Sempre gosto de me manifestar em relação aos acontecimentos, mas não o fiz no dia da morte do querido Chico. O motivo é que ao contrário da grande maioria eu não estava triste, mas feliz com a notícia. 
Dois dias antes ouvindo a notícia de como ele se encontrava, me deu uma tristeza muito grande e pensei: "Ele já morreu, o estão mantendo vivo com tantos aparelhos e procedimentos."  Ele estava internado a 3 meses, fora a longa internação anterior. Acredito que ninguém deveria passar por isso, e imagina o Chico, após uma linda vida, agora ficar reduzido a isso. Sempre que vejo alguém nessa situação, peço a Deus por Sua Misericórdia. Por isso, ao receber a notícia de sua morte, fiquei feliz, era o final do seu sofrimento.

Ele sempre estará em nossas lembranças e em nosso corações.
Obrigada, Chico!

Não, eles não morreram, viverão para sempre!!!!

22 de mar de 2012

Anna Karenina

 Já tivemos algumas "Anna Karenina"

Greta Garbor em 1935

Vivian Leigh em 1948

Jacqueline Bisset em 1985

Sophie Marceau em 1997


2012 será lançada mais uma versão

e Anna Karenina será vivida por Keira Knightley (que fez Orgulho e Preconceito)

E quem será Aleksei Aleksandrovich Karenin?

Jude Law ownnnnnnnnn

Não posso deixar de citar que na versão de 1985,
Aleksei foi interpretado por Christopher Reeve,
meu Super Man preferido.


Como eu amo romances históricos, estou prá lá de ansiosa para assistir!!!!